3 de janeiro de 2013 às 09h15min - Por Mário Flávio

A vereadora de Ponta Grossa que estava desaparecida depois de tomar posse no dia 1º de janeiro forjou o próprio sequestro, segundo a Polícia Civil do Paraná. Ana Maria Branco de Holleben (PT) recebeu ordem de prisão depois que se apresentou na Santa Casa de Misericórdia da cidade na tarde de ontem e será detida assim que receber alta médica. Segundo o delegado Luiz Alberto Cartaxo, a falsa comunicação de sequestro teve motivação política, para que ela evitasse votar na eleição para a presidência da Câmara Municipal de Ponta Grossa. “O que se conclui nesse momento é que não houve sequestro, mas uma simulação e falsa comunicação de crime”, disse o delegado.

Além de Ana Maria, estão indiciados Indalécio Valverde da Silva, motorista da vereadora; Adauto Valverde da Silva, irmão dele; Suzicléia da Silva, esposa de Indalécio; e Reginaldo Nascimento. Os três primeiros estão presos e Adauto está foragido. Todos, inclusive a vereadora, foram indiciados pelos crimes de falsa comunicação de crime, fraude processual e formação de quadrilha.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro