3 de janeiro de 2013 às 08h55min - Por Mário Flávio

Parecia que o cachimbo da paz finalmente teria sido fumado entre as duas maiores lideranças da Frente Popular em Caruaru. No entanto, após alguns gestos em que Zé Queiroz (PDT) e João Lyra (PDT), ensaiaram uma reaproximacão, a guerra fria que existe entre ambos fica cada vez mais evidente a cada entrevista ou ato político em que os dois se deparam. Até mesmo quando João não está presente fica evidente que a distância entre ambos é gritante.

Exemplo disso ocorreu na posse do prefeito reeleito de Caruaru, Zé Queiroz (PDT), quando a deputada estadual Raquel Lyra (PSB) esteve presente com cara de poucos amigos na solenidade. Ao fim da posse ela conversou com os jornalista e mais uma vez reafirmou que vai ter uma postura de fiscalizar as promessas de campanha e que o atual governo precisa avançar na questão das relações com a sociedade civil.

Na última semana do ano a própria Raquel e João Lyra deram entrevistas e seguem reclamando da falta de diálogo com o prefeito de Caruaru. Já Zé Queiroz segue ignorando as críticas e de leve, aqui e acolá, destaca a importância da autonomia no governo e como Eduardo Campos (PSB) é fundamental para a chegada de ações na cidade.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro