19 de fevereiro de 2014 às 12h45min - Por Mário Flávio

A votação do projeto que fixa novos valores do vencimento base dos professores estaduais motivou discurso da deputada Teresa Leitão, do PT. A parlamentar explicou que o reajuste toma como parâmetro o aumento do piso salarial, que foi de 8,32%. Segundo a deputada, governadores e prefeitos argumentam não ser possível reajustar de acordo com a Lei, o que situaria o aumento entre 15% e 17%.

De acordo com a parlamentar, com a mudança no Plano de Cargos e Carreiras em 2010, algumas funções foram prejudicadas, achatando os salários. Ela ressaltou que um professor com licenciatura plena em início de carreira recebe 96 reais a mais que um de nível médio. Teresa argumentou que é necessária a criação de um piso salarial para professores de nível superior.

Em aparte, Augusto César, do PTB, declarou o voto favorável da Oposição, mas afirmou que a bancada considera o reajuste aquém da necessidade dos professores. O líder do Governo, Waldemar Borges, do PSB, destacou que o Executivo tem se esforçado para corrigir distorções. Manoel Santos, do PT, também foi favorável ao aumento dos professores.

Teresa Leitão ainda comentou que, em 2006, durante a Conferência Estadual de Educação, foi denunciado que Pernambuco tinha o pior salário. Segundo ela, o então governador Eduardo Campos teria afirmado que a situação vergonhosa dos professores de Pernambuco iria acabar.

A deputada lembrou que o chefe do Executivo Estadual dialogou com médicos, auditores, policiais militares e, por fim, com os professores. Teresa finalizou dizendo que, quatro anos depois, o governador envia um projeto que achata a carreira de um professor licenciado a ponto dele receber o pior salário.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro