2 de março de 2012 às 14h00min - Por Mário Flávio

O deputado federal Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB, enfrentou contratempos, mas conseguiu chegar à Rádio Cultura do Nordeste nesta sexta-feira (02), para participar do programa Mesa Redonda, e falar sobre a atual estruturação do partido dos tucanos visando as eleições municipais de 2012.

No que se refere a Caruaru, Guerra deixou logo claro sua preferência pela candidatura a prefeito do vereador Diogo Cantarelli, por considerá-lo uma representação de mudança para o quadro político da cidade, assim como aposta na candidatura do deputado estadual Daniel Coelho em Recife. No entanto, Sérgio também admitiu não ser um parlamentar com representatividade no município, onde não tem votos expressivos nem estrutura política sólida, por isso também salientou que a decisão da candidatura de Diogo fica por conta do próprio diretório municipal tucano. “Estamos nos esforçando para fortalecer o nome de Diogo para sair como candidato em Caruaru e o PSDB tem total condições de sair com candidatura própria, mas quem deve decidir no final das contas são as próprias lideranças locais”, explicou.

Porém, sua decisão pesa significativamente para a definição de uma chapa encabeçada por Diogo, tanto que Guerra não apenas reiterou o que o pré-candidato já vinha dizendo sobre não aceitar o PSDB como reboque do DEM, como também disse não enxergar um quadro de aliança com o grupo Tony Gel/Miriam Lacerda. “Nas eleições de 2010, nós tentamos uma parceria com Tony Gel em Caruaru, mas não foi bem sucedida e por isso não acredito que isso possa ser trabalhado novamente”, opinou. Esse ponto de vista de Guerra passa uma impressão inclusive de questão pessoal entre ele e Tony Gel, o que representaria mais um entrave para uma parceria com Diogo Cantarelli. Mas, para Sérgio, isso não representa que o PSDB ficará isolado em Caruaru. Para ele, a União por Pernambuco caiu há muito tempo e por vontade do povo.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro