11 de junho de 2012 às 11h49min - Por Mário Flávio

Com a chegada do São João, a Secretaria de Saúde de Caruaru reforça a importância da prevenção para evitar acidentes que tanto podem deixar sequelas para o resto da vida quanto tirar a vida de uma pessoa.

Segundo o Diretor da Atenção Especializada, Paulo Guilherme, a falta de noção do perigo, o fácil acesso a fogos de artifício e o uso de combustível para acender a fogueira são os principais fatores de risco. “Em primeiro lugar, não existem fogos inocentes. Tanto a estrelinha, que atinge altas temperaturas, chegando a 300 graus, podendo causar sérias queimaduras quando em contato com a pele, quanto o traque de massa, que se bater no olho, pode provocar úlcera de córnea e um futuro dano ocular. Então os pais têm de estar conscientes dos perigos aos quais estão expondo seus filhos quando lhes dão fogos para brincar,” explica.

O ideal, de acordo com o diretor, é não deixar as crianças manipularem os fogos, mas em caso de permissão, um adulto deve estar por perto, pois todo cuidado é pouco. “Em caso de rojões, vulcões e fogos de maior porte, é imprescindível ler as instruções de uso. É muito comum chegar pacientes no hospital com lesões faciais e queimadura nas mãos devido aos fragmentos, porque manusearam a bomba de forma errada”, ressalta Paulo Guilherme, salientando que não se deve soltar fogos após ter ingerido bebida alcoólica, pois isso altera a percepção de tempo e o reflexo da pessoa.

A tradição de acender a fogueira também pode representar perigo se não forem tomadas as medidas necessárias. Não se deve, por exemplo, acendê-la com álcool. O ideal é usar uma bucha embebida em óleo diesel, dentro de uma lata, deixando um pavio para fora. Isso irá funcionar como uma lamparina. Ela deve ser colocada no meio da fogueira, para evitar que a madeira da base queime e a desmorone, caindo em cima de alguém. No caso da fogueira já baixa, por mais divertido que possa parecer, evite pular por cima dela. Quando isso acontece, os ferimentos são graves, pois a pessoa não consegue se equilibrar para se levantar, o que agrava as queimaduras.

Se o acendimento da fogueira merece atenção, apagá-la também requer cuidados. Ao terminar a festa, jogue água e areia nela. Se não, a brasa ficará consumindo durante a noite e, ao amanhecer o dia, vai aparentar que está apagada. “As crianças são as maiores vítimas nesse caso, pois ao acordar, vão brincar com pedaços de carvão ou procurar por fogos não estourados e acabam pisando na brasa e caindo sobre elas”, explica o médico Francisco das Chagas.

O


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro