31 de janeiro de 2012 às 15h34min - Por Mário Flávio

Em resposta ao comentário publicado no blog, a Prefeitura de Caruaru esclarece:

A proposta da Lei de Fomento tomou como base uma lei semelhante, do mesmo nome, adotada em Pernambuco pelo Governo do Estado (Empetur) desde 2009. À época o secretário de Turismo era Paulo Câmara, auditor concursado do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e hoje à frente da Secretaria Estadual da Fazenda. O projeto tem dois grandes propósitos: incentivar artistas e realizadores a caminhar dentro das normas estabelecidas pelos mecanismos de fiscalização, como TCE e regulamentar a aprovação de projetos, tornando os processos mais transparentes.

O debate com os artistas de Caruaru é importante e está nos ajudando a aprimorar o projeto, nos pontos tocantes ao julgamento e critérios de avaliação. A Prefeitura entende que o melhor caminho é, sempre, o do diálogo e, por isto mesmo, de maneira democrática decidiu retirar a proposta da pauta para novas reuniões com a classe artística. Algo absolutamente natural num ambiente de discussões maduras, como é este que está posto.

A Prefeitura coloca-se à disposição do ex-coordenador Superior de Ações Culturais para quaisquer esclarecimentos necessários e reitera que está absolutamente aberta ao debate, tendo sempre como foco a legalidade dos serviços e a promoção cultural de Caruaru.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro