11 de dezembro de 2012 às 14h55min - Por Mário Flávio

E quando eu penso que disputei uma cadeira na Câmara Municipal de Caruaru, em 2008, com o slogan: “Vereador Voluntário Mandato Sem Salário, Porque Mandato Não é Emprego e Política Não é Profissão”, não consigo acreditar que os edis, quatro anos depois estão criando para si, “uma quina de mega sena”, para cada mês de mandato.

Não bastasse haver aumentado o número de vereadores, que saiu de 15 para 23, aumenta-se também os seus subsídios, num patamar que recebe, talvez, o beneplácito da legalidade, mas que destoa da moralidade, até porque nem tudo o que é legal, é moral.

Duplo parabéns para aqueles que se reelegeram em 2012, extensivos aos novatos, que já chegam com a promessa de mais de meio milhão de reais para o bolso, nos próximos 48 meses.

Se um ano de salário para um trabalhador, após o reajuste de janeiro / 2013, equivalerá a R$ 8.040,00 (oito mil e quarenta reais), melhor sorte terão os nobres vereadores que no mesmo período auferirão R$ 132.000,00 (cento e trinta e dois mil reais), após a publicação da lei votada em causa própria.

Dois pesos, duas medidas.

Mas, a culpa, em suma, é do próprio povo. “Não adianta tentar demonstrar a propriedade da luz àquele que não a enxerga”.

“Nem tudo o que reluz é ouro”. O povo de Caruaru se deixou levar pelo rico processo político de 2012, no qual imperou, o poder econômico, a influência política e a máquina administrativa.

Agora é tarde. Passamos da meia-noite. A carruagem virou abóbora e o príncipe virou sapo. Vamos ter que suportar o preço da escolha da maioria.

Em 2014, as mesmas quimeras virão aos ouvidos dos incautos e novamente irão ser eleitos lobos travestidos de cordeiros.

Se a minha consciência política não fosse tão aguçada, eu, simplesmente, cruzaria os braços. Mas, Hoje na galeria da Câmara, amanhã nas ruas de Caruaru, em 2014 no guia eleitoral e assim sucessivamente, repetirei o velho jargão da campanha de 2012: “Mil vezes o doloroso processo da conscientização, do que o anestésico da alienação ou o fel da omissão política”.

Logo mais, às 20 horas, estarei testemunhando o aumento de subsídios do Prefeito, do seu Vice, dos seus Secretários e também dos Nobres – na acepção da palavra – Vereadores de Caruaru. Hoje é o dia 11 de dezembro de 2012.

*Severino Melo – Ex-candidato a Vice-Prefeito de Caruaru pelo PSOL, em 2012, para quem mandato não é emprego e política não é profissão. [email protected] 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro