11 de dezembro de 2012 às 14h25min - Por Mário Flávio

João Lyra lembra que candidatura de sucessão depende de articulação entre partidos

Em entrevista ao programa Conteúdo, na Caruaru FM, na segunda-feira (10), o vice-governador de Pernambuco, João Lyra (PDT), reafirmou que, se Eduardo Campos se descompatibilizar para qualquer cargo, incluindo o de candidato a presidência da República, que é um dos nomes cogitados para 2014, ainda haverá várias negociações e entendimentos para que se defina o candidato à sucessão pela Frente Popular. João é um dos nomes cogitados já agora em 2o12, ainda mais porque ele assumira o governo, caso Eduardo se descompatibilizasse do cargo. No entanto, o vice prefere amenizar as especulações em torno de seu nome.

Confira

“Eduardo é presidente de um partido importante, que é o PSB, e acho que ele tem chances de disputar a presidência, não só pela sua articulação política, mas pela gestão que vem fazendo em Pernambuco. Se ele sair, eu assumo em 30 de março de 2014. A imprensa começa a levantar os nomes que disputarão a presidência. Eu acho muito cedo, vamos deixar pra tratar a sucessão de Eduardo Campos para 2014, mas isso não impede que haja especulações e discussões sobre quem será o candidato. Evidentemente que, eu assumindo o governo, serei um nome praticamente colocado na Frente Popular, para disputar em 2014, mas ainda é muito cedo”, ponderou João.

No entanto, o pedetista lembrou ainda que historicamente Caruaru já teve 3 vice-governadores e não descartou a ideia de assumir o comando do estado futuramente, seja com a saída de Eduardo, ou quem sabe numa possível eleição em 2014. “Caruaru já teve 3 vice-governadores, o primeiro reeleito fui eu. É uma marca importante para Caruaru. Então, vamos aguardar e se as coisas acontecerem, se as circunstâncias favorecerem, quem sabe Caruaru não terá o 1º governador do Estado”, completou o vice.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro