27 de fevereiro de 2014 às 11h25min - Por Mário Flávio

Um fato estarrecedor chamou minha atenção enquanto acompanhava o noticiário esta semana. O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, promulgou uma lei que transforma a homossexualidade em crime que pode ser punido com prisão perpétua em caso de reincidência. É inconcebível aceitar um posicionamento como este. Afinal, estamos no século 21 e trata-se do continente onde nasceu e brilhou Nelson Mandela, um ícone mundial na luta contra a segregação.

A homossexualidade, que é uma orientação sexual, e não uma opção, de maneira alguma pode ser visto de forma criminosa, haja vista que todos temos o direito de nos relacionarmos com quem desejarmos e é um dever da sociedade respeitar essas diferenças e conviver com elas igualitariamente.

No Brasil, por mais que o preconceito também seja recorrente, temos lutado incansavelmente no combate a esse mal. Trazendo um exemplo mais próximo, aqui em Pernambuco foi anunciada pelo governador Eduardo Campos, em dezembro do ano passado, a criação do Conselho Estadual de Direitos LGBT, que vai trabalhar para a implementação de políticas públicas em âmbito estadual.

Já no início de 2012, outro grande passo também foi dado nessa gestão, quando foi criado o Centro Estadual de Combate à Homofobia. Ambos têm um grande objetivo em comum, que é combater a discriminação e a violência contra Lésbicas, gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBTT) e promover a cidadania desta população em todo o território pernambucano. Eu tive o prazer de fazer parte desses dois momentos.

Espero que possamos seguir avançando neste sentido, com ações que promovam a igualdade e o respeito. Sobre a notícia de Uganda, meu desejo de que as autoridades internacionais possam realizar as intervenções necessárias e evitar que o verdadeiro crime, o da discriminação, seja disseminado e interfira na felicidade de tantas pessoas.

*Laura Gomes é Deputada Estadual


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro