10 de janeiro de 2014 às 13h38min - Por Mário Flávio

“Esta cova em que estás, com palmos medida É a conta menor que tiraste em vida”

Esta frase da canção de Chico Buarque faz parte do segundo disco de sua carreira, “Morte e Vida Severina”, da década de sessenta, inspirado na obra de João Cabral, que se estivesse vivo estaria aniversariando hoje, 9 de janeiro. Cabral é tido como maior poeta da terceira fase modernista. Um dos mais importantes de nossa história.

Essa canção, que ouvi recentemente, me trouxe a memória nomes de defensores públicos que perderam sua vida, se não todos, quase todos ao confrontarem com interesses dos chamados “intocáveis” ou os que se sentem “dono do poder”.

Severina Natalícia da Silva, nossa Severina, entra agora para esta estatística de advogados assassinados em Pernambuco, que nos traz à memória casos que permanecem com seus processos parados.
Como e quando terminará as investigações do caso do promotor Thiago faria Soares? E o advogado Manoel Mattos, assassinado em janeiro de 2009 devido às denúncias que realizava sobre a atuação de grupos de extermínio nos estados da Paraíba e Pernambuco? Nesta lista tem ainda Luiz Antônio Esteves de Britto, assassinado em Arcoverde, no Sertão, Antônio Augusto de Barros, em Lagoa de Itaenga, Mata Norte, e de José Marcos Carvalho Filho, em Olinda.

Em vida, Severina teve sua infância pobre, com dificuldades e muito sacrifício sua mãe pagou seus estudos para que se formasse em Direito, vindo a atuar em causas trabalhistas, civis e previdenciárias. Também atuou como vice-diretora do COLÉGIO Nicanor. Era advogada militante, dedicada e pretendia ser promotora.
Seu projeto de vida abortado quando a caminho de casa, encapuzados a levaram a força deixando-a desaparecida por vários dias.

Na semana do natal seu corpo foi encontrado carbonizado, tendo ainda suas sandálias e o anel de formatura junto, além de três projéteis de arma de fogo. Em seu sepultamento as palavras do presidente da OAB-PE ressaltava sua atuação por paixão e sacerdócio: “ela honrou os mandamentos éticos da profissão, que diz, entre outros pontos, que não se deve temer”.

Assim como no livro, a história no fim propõe o encontro com a vida, sugerindo a vitória da resistência e da insistência na esperança, e que no recente caso de Severina isso tudo desemboque em justiça!

PROCESSO CONTRA OS VEREADORES PODE SE TORNAR PÚBLICO
O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ofereceu denúncia contra os dez vereadores de Caruaru, acusados de tentativa de extorsão contra a Prefeitura, para aprovar projetos de leis. A denúncia foi entregue segunda-feira, 06, e entre outros fatos, pede que o processo deixe de correr em segredo de justiça.

De acordo com o promotor Luiz Gustavo Simões, que esteve participou das investigações, os vereadores já foram acusados formalmente, restando ao judiciário acatar ou não o processo. O desgaste de nosso município permanece no Brasil e em Pernambuco (desgaste provado por quem viaja em outras cidades), é necessário a comissão de ética da CMC se posicionar e resolver de vez a situação da Casa, manchada por fatos do passado e do presente. A justiça precisa agilizar a resolução disso e, assim como pediu o Ministério Público, publicar o que foi gravado e filmado nas investigações.

FINANCIAMENTO PRIVADO, ATÉ QUANDO?
Chegamos em 2014 sem o Congresso levar adiante uma reforma política que tiraria poder dos financiadores de campanhas. Em 2010, o Instituto Ethos divulgou estudo – em parceria com a Transparency International – segundo o qual o setor privado gastou R$ 4,6 bilhões em financiamento de campanhas nas eleições de 2006 e 2008.

FRASE:
“A ambição de poder é a mais forte de todas as paixões.” – Tácito

*Paulo Nailson escreve no blog Política de AaZ semanalmente. É responsável pelo blog presentiaonline. Atua na Cultura e no meio político.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro