11 de junho de 2012 às 09h16min - Por Mário Flávio

Dono de uma inteligência privilegiada, o arquiteto e urbanista Jaime Lerner é um dos mais competentes pensadores da dinâmica das cidades. Lerner certa vez disse “A maior atração de uma cidade é a qualidade de vida de seus moradores”.
 
Para um expressivo número de cidades Brasil afora, pensar e planejar estrategicamente o desenvolvimento sustentável com foco na qualidade de vida de seus moradores, ainda é um desafio sem data para ser enfrentado.
 
Quando a dinâmica da cidade não é pensada nem planejada, a população é quem sofre as mais cruéis conseqüências. Como também quando a cidade é pensada e planejada, a população é quem usufrui das boas conseqüências. E isso acontece por uma razão simples: nós não estamos na cidade, nós somos a cidade.
 
A maioria dos políticos – em especial os prefeitos – só pensa e planeja eleições. Um grande número de prefeitos passa a maior parte do tempo pensando e planejando política partidária e eleições, e a menor parte do tempo tentando administrar a cidade. É bem verdade que dentro dessa improdutiva realidade existem raríssimas exceções. O problema é que, o que é exceção, deveria ser a regra.
 
É aí que reside o perigo. Se você perguntar a respeito das próximas eleições, a maioria dos políticos é capaz de pensar e planejar os mais variados e vantajosos cenários nas inúmeras eleições dentro dos próximos 12 anos.

É assim que a imensa maioria das prefeituras tem trabalhado. A política partidária tem sido mais importante do que a cidade, e isso tem maltratado muitas cidades. Quando a cidade é maltratada, quem sofre de verdade são as pessoas que nela vivem.
 
A política partidária e as eleições são importantes pilares do processo democrático, mas na relação com a cidade o que precisa existir é um modelo de desenvolvimento sustentável onde a estrutura política funcione para fomentar a qualidade de vida na cidade, e não o contrário.

Para tanto, as prefeituras precisam de um conjunto de pessoas capazes de pensar, planejar e executar um modelo de desenvolvimento sustentável, que tenha como resultado primordial um elevado grau de qualidade de vida coletiva na cidade.
 
A cidade congrega vidas, mas não qualquer vida, a cidade congrega nossas vidas. E da mesma maneira como pensamos e planejamos o melhor para nossas vidas, precisamos pensar e planejar a vida da cidade.
 
O debate da cidade precisa girar em torno de temas como saúde, educação, segurança, urbanização, limpeza, infraestrutura, economia, cultura, mobilidade, meio ambiente e assim por diante. Se quisermos viver melhor, precisamos tornar nossa cidade cada vez melhor. A relação é diretamente proporcional: quanto melhor for a cidade, melhor será a qualidade de vida das pessoas que nela vivem.
 
Cuidar da cidade é a melhor forma de comunhão, é a melhor forma de cuidar de todos sem distinção. Pense nisso e cuide de você cuidando da sua cidade, afinal de contas… você é a cidade!
 
*Bruno Bezerra é adminstrador de empresa e diretor de desenvolvimento e empreendedorismo da CDL de Santa Cruz do Capibaribe-PE.
 
Twitter: @brunobezerra
Facebook: www.facebook.com/brunobezerrape


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro