19 de maio de 2012 às 11h09min - Por Mário Flávio

 

As autoridades estimam que entre as pessoas com idade entre 47 e 67 anos de idade se encontram 75% dos infectados com a hepatite C. A maioria desses infectados não se incluem nos fatores de risco que, até agora, haviam sido usados como base para recomendar a realização do teste. Esses fatores de risco incluem o uso de drogas injetáveis, ter recebido transfusão de sangue ou transplantes de órgãos antes do teste HCV tornou-se rotina, exposições conhecidas para HCV, presença de sintomas de hepatite, e todos os pacientes com HIV.

 

 

Hepatite C: Assassino Invisível

 

Na faixa de idade entre 47 e 67 anos, 1 de cada 30 indivíduos está infectado com hepatite C e não sabe da sua doença. O hemograma não detecta a infecção, somente com um teste especifico chamado ANTI-HCV é possível o diagnostico.  O teste somente existe desde 1992, ano em que os bancos de sangue passaram a testar o sangue utilizado em transfusões. 

 

A maioria dos infectados com hepatite C foi contaminado antes de 1992, permanecendo o vírus atacando e destruindo o fígado de forma silenciosa e sem sintomas por duas ou três décadas, chegando finalmente a levar o paciente à cirrose ou ao câncer de fígado.  Em cada quatro pessoas não diagnosticadas e devidamente tratadas, uma delas estará perdendo 17 anos de vida, morrendo a uma idade média de 56 anos.

 

A hepatite C é transmitida por contato com sangue, não sendo considerada uma doença sexualmente  transmissível devido a pouca probabilidade de acontecer o contagio por via sexual.

 



Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro