16 de agosto de 2013 às 07h25min - Por Mário Flávio

Danilo Souza diz que médicos irão entrar na justiça para derrubar decisões de Dilma Roussef

O diretor regional do Sindicato dos Médicos de Pernambuco, Danilo Souza, anunciou em entrevista à emissora Caruaru FM nesta quinta (15) que será marcada uma assembleia para semana que vem, para que a categoria discuta novamente a pauta de reivindicações que já havia sido acordada com a prefeitura municipal. No entanto, mais uma vez o médico expõe que alguns pontos do acordo não foram cumpridos e prometeu que a categoria vai “engrossar” as mobilizações para reivindicar o cumprimento integral do acordo da categoria com a prefeitura municipal.

No contexto

Programa Mais Médicos prevê mais 20 profissionais para Caruaru

Prefeitura de Caruaru sanciona reajustes para médicos, técnicos e auxiliares de enfermagem

Em Assembleia, médicos de Caruaru aprovam propostas da prefeitura e cancelam paralisações temporárias

“Infelizmente, mais uma vez a prefeitura não cumpriu o acordo, que firmamos no final de junho, a população de Caruaru acompanhou o processo desde o início do ano, desde que denunciamos o fechamento da UTI do Bom Jesus e a falta de medicamentos, por exemplo. Boa parte dos pontos já não está sendo cumpridos, Procuramos a secretária de saúde [Aparecida Souza], enviamos ofício, para tentarmos entender o porquê do não cumprimento, mas fomos ignorados. Todas vez é preciso partir para assembleias, movimentos grevistas, para a imprensa, a fim de que a prefeitura tome uma posição. Ninguém aguenta mais o descompromisso e o desrespeito com a categoria. Há 15 dias que estamos procurando a secretária para obter respostas”, disparou Danilo.

Questionando se isso poderia ter relação com a previsão da chegada de profissionais do programa Mais Médicos a Caruaru, Danilo aproveitou para criticar o programa do governo federal. “Por qual razão seja, não tira a gravidade de nossa situação. A secretária deveria explicar publicamente porque quer trazer médicos sem comprovar sua validação. Vários prefeitos não estão aderindo ao programa. Quando não se exige a revalidação do diploma, a população é desfavorecida. Acho que possa ter relação com isso [Mais Médicos] sim, já que estão aderindo a um programa discriminatório”, acrescentou.

RESPOSTA DA SECRETARIA

Em resposta, a secretária de Saúde, Aparecida Souza, explicou que alguns não são de fácil solução, como a reabertura da UTI da Casa de Saúde Bom Jesus (CSBJ) e a substituição dos porteiros das unidades de saúde por equipes de vigilância 24 horas”, explicou. Ela explicou ainda que o Programa Mais Médicos não vai prejudicar a categoria médica, mas que garantirá acesso aos serviços básicos de saúde, e isso inclui a presença do médico, particularmente em postos localizados em regiões de grande vulnerabilidade social e sanitária, tanto da zona urbana quanto rural.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro