7 de novembro de 2012 às 07h55min - Por Mário Flávio

A Faculdade do Vale do Ipojuca (Favip) divulga o Valor da Cesta Básica para a cidade de Caruaru no mês de outubro. De acordo com o levantamento, feito pelos cursos de Ciências Contábeis e de Gestão Financeira, o custo da alimentação básica do caruaruense foi de R$ 211,54, representando uma queda de – 3,44% em relação ao mês anterior. O estudo seguiu a metodologia do Dieese.

Considerando o gasto médio mensal dos 12 componentes da cesta básica, os itens que mais pesaram no bolso do consumidor foram a carne (32,33%), o pão (20,99%), o feijão (9,68%) e o tomate (8,49%). Convertendo em valores, o caruaruense precisou desembolsar, em média, R$ 68,40 para comprar a quantidade necessária de carne para todo mês. Caruaru também entrou na lista das cidades com maiores altas nos preços da margarina, feijão e farinha.

De acordo com a coordenadora científica da pesquisa, Maria Vanessa de Souza, para pagar o valor apresentado pela cesta básica em outubro, o assalariado caruaruense precisou trabalhar 70 horas e 49 minutos. “Partindo dessa informação, uma família caruaruense deveria receber um salário mínimo de R$ 1.777,13 para a aquisição dos gêneros alimentícios básicos e dos outros itens, garantido, assim, a sobrevivência digna de um grupo familiar. Este valor representa aproximadamente 2,86 vezes mais que o salário mínimo de R$ 622 atualmente em vigor”, explica.

COMPARAÇÃO – O levantamento da Favip também contemplou um comparativo do custo da cesta básica de Caruaru com várias capitais onde o Diesse realiza pesquisa. Em outubro, de uma forma geral, o preço dos gêneros alimentícios essenciais aumentou principalmente nas cidades do Norte e Nordeste, com destaque para Recife (4,49% – R$ 250,28), Manaus (3,61% – R$ 298,22) e Fortaleza (2,54% – R$ 255,11). Já as quedas mais expressivas foram registradas em Florianópolis (-9,04% – R$ 282,80), Brasília (-3,66% – R$ 271,55) e Vitória (-2,29% – R$ 293,83).

Nesse cenário, a cesta básica de Caruaru apresentou um valor menor que a da capital pernambucana, com uma diferença de R$ 38,74. Em relação à média nordestina, o valor cai para R$ 24,22 e se comparada à média da cesta nacional, a diferença passa para R$ 51,10.

No topo do ranking ficou São Paulo, com a cesta básica de R$ 311,55. Já Aracaju registrou o menor valor: R$ 206,03. Recife ocupou o quinto lugar com a cesta mais barata do Brasil, R$ 250,28.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro