29 de janeiro de 2021 às 08h36min - Por Mário Flávio
(Brasília – DF, 26/11/2020) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Do Valor Econômico

O presidente Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto para a disputa presidencial de 2022, com apoio de mais de um terço da população, segundo pesquisa Atlas divulgada nesta quarta-feira. Mesmo depois de registrar a queda de sua popularidade, com o aumento da desaprovação ao governo, ele tem 34,5% das intenções de voto.

Em segundo lugar aparece

Em segundo lugar aparece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 22,3%. Nesse cenário, com a presença do petista, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro (sem partido) tem 11,3% das intenções de voto, seguido pelo ex-governador Ciro Gomes (PDT), que tem 8,8%.

Em disputa política com Bolsonaro em torno da vacina contra covid-19, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), registra 3,6% das intenções de voto, situação semelhante à do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), apontado por 3,4% dos entrevistados.

O apresentador Luciano Huck (sem partido) registra 1,9% das intenções e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), 1,4%. Dos entrevistados, 5,5% não souberam responder em quem poderão votar em 2022 ou declararam voto em branco ou nulo.

Lula tenta anular sua condenação no caso do tríplex do Guarujá (SP) alegando parcialidade de Moro, juiz do caso em primeira instância. Pela Lei da Ficha Limpa, o ex-presidente, que ficou preso por 580 dias, está impedido de disputar as eleições de 2022.

No cenário sem Lula, Bolsonaro permanece na liderança, com 34,4%. Na sequência, estão embolados o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), com 13,4%; Ciro Gomes, com 11,6%; e Sergio Moro, com o mesmo percentual, 11,6%. Mandetta tem 4,8% e Doria, 4,3%. Os entrevistados que não souberam responder, ou que pretendem anular ou votar em branco somam 6,1%.

Apesar do cenário eleitoral positivo para a reeleição, nesta semana, outros dados da pesquisas Atlas mostraram um cenário menos favorável para Bolsonaro. Um eventual de impeachment do presidente conta com o apoio de 53,6% dos entrevistados; 41,5% são contra o afastamento do presidente do cargo e 4,9% não souberam opinar.

A popularidade de Bolsonaro voltou a cair em janeiro, com o recrudescimento da pandemia e o fim do auxílio emergencial, e 59,1% dos brasileiros desaprovam sua gestão, de acordo com o instituto. A atuação do presidente no combate à pandemia de covid-19 é desaprovada por 62% dos brasileiros.

A avaliação do governo Bolsonaro também piorou no início deste ano. Dos entrevistados, 53,4% o consideram ruim ou péssimo; 27,9% o avaliam como ótimo ou bom e 18,7%, como regular.

A pesquisa Atlas foi realizada com 3.073 pessoas, por recrutamento on-line, entre os dias 20 e 24 de janeiro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O levantamento tem nível de confiança de 95%.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro