5 de fevereiro de 2013 às 08h55min - Por Mário Flávio
Edmilson lembrou que a concorrência nas eleições foi grande

A indicação de Edmilson do Salgado mostrou a fragilidade da relação

Uma relação que deveria ser harmoniosa, mas que a cada dia mostra que está longe de ser uma lua de mel. Esse é o clima entre a cúpula do PCdoB em Caruaru e a UJS. Desde a gestão de Lícius Cavalcanti na Câmara que as feridas estão expostas e a entidade que representa a juventude comunista nunca se entendeu com o ex-presidente da Casa.

Como dois bicudos não se beijam, ambos os lados trocaram farpas e os camaradas não se entenderam na eleição de 2012. Com o anúncio do rompimento de Lícius com o prefeito Zé Queiroz (PDT), ele perdeu o apoio de 800 jovens, que são filiados a União da Juventude Socialista em Caruaru.

Recentemente o vereador Edmilson do Salgado também mostrou que não goza de uma boa relação com a entidade estudantil. Por conta própria ele indicou um assessor para fazer parte da Frente Popular Jovem e gerou muita reclamação da própria UJS e de mebros do Conselho Político do Partido. Edmilson é vice-presidente da legenda em Caruaru e quando foi questionado a respeito da indicação, definiu em poucas palavras. “Nunca recebi apoio da UJS e posso indicar o representante do partido”, disse ele na Sessão Extraordinária da Câmara.

A indicação de Edmilson gerou reclamação da UJS e a diretora de Juventude de Caruaru, Michelly Pereira, militante da entidade, chegou a ironizar no facebook que poderia deixar o PCdoB e ir para o PT.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro