18 de junho de 2015 às 23h57min - Por Mário Flávio

   

A Câmara de Caruaru foi palco de mais uma polêmica. O motivo foi uma emenda ao Plano Municipal de Educação, que previa a igualdade de raça e gênero, nas escolas da cidade. A bancada evangélica se reuniu e contou com o apoio da maioria dos vereadores para retirar parte do texto que tratava da igualdade de gênero e orientação sexual.

Evangélico, o vereador Jaelcio Tenório (PRP), explicou os motivos de votar a favor do projeto. “Essa é uma questão nacional e estamos pensando no futuro, para daqui a alguns anos. A questão do ensinamento do filho, tem que começar de casa. Levar para que um professor possa ensinar a seu filho como ele deve fazer sexo ou com seis anos de idade para ele se masturbar, por exemplo, poderia vir numa cartilha, se a gente aprovasse esse projeto sem a emenda. Em respeito a família, tiramos essa questão”, disse.

Dos 22 vereadores presentes, apenas Marcelo Gomes e Gilberto de Dora, ambos do PSB, se posicionaram contra a emenda. Gilberto disse que a votação é uma forma de preconceito contra gays, transexuais e transgêneros. Após a votação do projeto, houve muito barulho nas galerias. Manifestantes a favor ou contra a emenda trocaram farpas.

A reunião terminou com muita confusão e expulsão de alguns manifestantes das galerias, que segundo os vereadores faltaram com respeito, ao se dirigem aos mesmos como vagabundos. O projeto e a emenda do Plano Municipal de Educação foram aprovados e seguem para a sanção do prefeito José Queiroz.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro