26 de dezembro de 2012 às 17h55min - Por Mário Flávio

A sessão ordinária da Câmara Municipal de Caruaru na semana passada foi de despedida para Adolfo José, Bruno Lambreta, ambos do PSD, Diogo Cantarelli (PSDB), Zé Carlos do Sindicato (PSC) e Rogério Meneses (PT), que resolveram fazer considerações de seus mandatos na Câmara. Destes, apenas Adolfo, Diogo e Rogério, não voltaram a disputar vagas na Câmara. Também não foram reeleitos os vereadores Alecrim e o atual presidente da Casa, Lícius Cavalcanti (PCdoB).

No contexto

Última sessão do ano na Câmara vota Projeto sobre transporte municipal

Rogério se despede da Câmara com poesia

Entenda como ficaria a Câmara de Caruaru sem o Quociente Eleitoral

Para o líder do governo na Casa, Adolfo José (PSD), que tomou a iniciativa de não disputar reeleição, o mandato foi de novas experiências, e ainda elogiou o vereador Leonardo Chaves, companheiro de partido, que vai para o décimo mandato. “Mesmo sendo de livre e espontânea vontade, a gente sente na hora as bases tremerem, porque a fizemos ótimas amizades, a gente aprende a conviver com coisas adversas, e aprende com quem sabe mais, como é o caso de Leonardo Chaves, que tem sido importante para a Casa, Caruaru e para os novos companheiros”, explicou.

Já Diogo Cantarelli, que foi candidato a vice-prefeito na chapa da oposição este ano, encabeçada por Miriam Lacerda (DEM), considerou que a atual legislatura foi bem representada na Capital do Agreste. “Eu tive oportunidade de estar aqui e carreguei essa gratidão pelo povo de Caruaru, que me concedeu a oportunidade de estar vereador por dois mandatos. Na primeira eleição, com 24 anos, fui eleito o terceiro mais votado em Caruaru. Essa gratidão se transformou em trabalho, porque é esse o trabalho do vereador, algo que todos mostraram, o real papel do vereador. E temos, sim, uma Câmara forte e aguerrida. Outra virá e também será uma grande legislatura a partir de 2013”, salientou.

O vereador Zé Carlos, que obteve 1.957 votos, considerou que cumpriu seu papel no mandato da Casa. “Foi uma legislatura em que trabalhamos bastante, apresentamos muitos projetos e se fôssemos citar, uma noite não daria para citar todas as proposituras”, analisou. Por sua vez, Bruno Lambreta, que obteve 3.205 votos, número significativo, mas não o suficiente no cálculo do quociente eleitoral, destacou sua participação na Mesa Diretora no primeiro biênio da legislatura e também na Comissão de Legislação de Redação de Leis. “Tive a felicidade de fazer parte da Mesa Diretora na gestão de Rogério Meneses e depois pude conviver com ele e com Diogo Cantarelli na Comissão de Legislação e Redação de Leis, cumprindo um trabalho que delegou muitas responsabilidades”, lembrou.

O último discurso de despedida semana passada foi de Rogério, que além de ter preparado um poema para marcar sua atuação parlamentar, também deixou um pedido para o próximo presidente da Casa. “Não sei ainda quem será o próximo presidente desta Casa, mas já deixo o meu pedido para quem assumir, para que possa deixar o espaço aberto para atender nossos pedidos, e já deixo aqui o pedido de realizarem a entrega de um título de cidadão, aprovado recentemente, para homenagear o servidor desta Casa, Mário Pedrosa, e peço inclusive a Lula Tôrres, um grande companheiro de mandato, que possa fazer a entrega no meu lugar”, reforçou Rogério.

Nesta quarta-feira (26) à noite, será realizada a última sessão do ano na Câmara, que teria sido na semana passada, mas devido a um pedido de vistas sobre uma emenda a uma modificação da legislação municipal, foi a agendada esta nova sessão.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro