1 de junho de 2013 às 13h25min - Por Mário Flávio

Jajá

Os vereadores de oposição engrossaram o tom com a bancada governista e reclamam do que chamam de tentativa de intimidação, por parte da base governista, nas sessões da Casa Jornalista José Carlos Florêncio. O primeiro a reclamara foi Jajá (MD), que citou o presidente da Comissão de Ética, Ricardo Liberato (PSC) e o líder do governo na Câmara, Dr. Demóstenes (PSD). Segundo Jajá existe a intenção de cercear a fala dele, que sempre aborda assuntos polêmicos na Casa.

“Sinto-me intimidado, mas não vou baixar a guarda pra ninguém. Fui eleito pelo povo e o povo é quem paga o meu salário, por isso eu trago as reclamações da população e só falo a verdade, jamais tive a intenção de desrespeitar a ninguém e não vou mudar”, disparou Jajá. O vice-líder da oposição, vereador Evandro Silva (PMDB), saiu em defesa da oposição e soltou criticas contra a bancada governista.

“O vereador tem livre arbítrio para falar o que quiser na Tribuna, mas tem vereador aqui querendo dizer o que devemos falar, não vou aceitar isso, não é quebra de decoro. Só falta dizer o que o prefeito quer que a gente fale, essa é a terceira vez que venho falar disso, já que o líder do governo quer manipular a nossa fala. Ora, ele defenda o brilhante governo dele, mas não pode querer mandar no que a gente fala”, disse.

Sobre a liberdade de falar na Tribuna e uma possível quebra de decoro, Gilberto de Dora (PSB), também se posicionou sobre a questão e disse que a Tribuna é um espaço democrático: “Essa Tribuna é livre para oposição e situação debaterem. Na semana passada o vereador Evandro Silva apresentou um voto de repúdio ao doutor João Montenegro e eu coloquei um voto de aplausos, isso é a democracia. A quebra de decoro é algo muito grave e até agora não vi nada disso nessa Legislatura”, pontuou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro