26 de fevereiro de 2014 às 12h48min - Por Mário Flávio

20140226-124910.jpg

A Saúde foi o mote do discurso do vereador Jaelcio Tenório (PRB), na terça-feira 25. Ele mencionou a construção de unidades de saúde – a exemplo do Hospital Mestre Vitalino e do Hospital da Mulher – como positivas para a sociedade, mas alertou acerca da possível falta de médicos para atender às demandas. O edil destacou que, com a Copa do Mundo no Brasil, vários fatores concernentes à Saúde devem ser levantados. “Precisamos de uma Saúde ‘Padrão Fifa’. Permitam-me o trocadilho para dizer que precisamos não de craques que não são bons de bola, mas bons de bula. É necessário ser feita essa convocação”, proferiu.

Tenório ainda mencionou uma pesquisa divulgada no fim do ano passado, realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), mostrando que, proporcionalmente, o Brasil tem mais engenheiros do que médicos. De acordo com o estudo, a média nacional é que, para cada engenheiro, a proporção é de 267,62 habitantes, já para cada médico, esse número é de 701,61. “Será que essas unidades de saúde que serão implantadas conseguirão atender à demanda de pacientes? Será que haverá mão-de-obra médica suficiente para suprir as carências de nosso povo? Será que as comunidades mais carentes conseguirão acesso à saúde, com dignidade e respeito?”, lançou os questionamentos.

Além do discurso sobre esse tópico, o parlamentar registrou a morte da professora Lídia Soares Rolim, uma figura de destaque na sociedade caruaruense, que lecionou no Colégio Nicanor Soutto Maior por 25 anos e também foi revisora da Câmara de Carauru. Ela faleceu no domingo 23. “Solidarizo-me com a dor de toda a família, mas agradecido a Deus pelos momentos que Lídia esteve entre nós, e por tudo o que pudemos aprender com ela”, declarou Tenório.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro