23 de agosto de 2018 às 10h06min - Por Mário Flávio

No mês de julho, o valor da cesta básica em Caruaru apresentou uma importante redução, seguindo a tendência nacional. É o que mostra a pesquisa mensal feita por alunos dos cursos de Ciências Contábeis e Gestão Financeira do Centro Universitário UniFavip|Wyden. Segundo o levantamento, o custo da alimentação básica do caruaruense teve uma redução de 6,82% em seu valor total, a maior queda registrada esse ano, chegando a custar R$249,21.

Segundo a professora Eliane Alves, responsável pela pesquisa, os itens que mais contribuíram para a redução da cesta básica foram o tomate, a banana e a farinha. Já o arroz, o leite e o açúcar registraram alta. Seguindo a tendência dos meses anteriores, a cesta básica de Caruaru continuou apresentando um valor menor que a de Recife. A diferença foi de R$ 98,22.

O comportamento dos preços dos gêneros alimentícios foi de queda em 19 das 20 capitais onde o DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – realizou a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. As reduções mais expressivas foram registradas nas seguintes capitais: Cuiabá (R$388,43), São Luís (R$336,67), Brasília (R$390,34), Belém (R$361,11) e o Rio de Janeiro (R$421,89). Já a elevação foi registrada apenas em Goiânia (R$366,38). A cesta mais cara do país foi a de São Paulo (R$437,42) e a cesta mais barata continua sendo a de Salvador (R$321,62).

A pesquisa mostrou ainda que, em julho, considerando o salário mínimo líquido, o trabalhador caruaruense desembolsou 28,39% da sua renda apenas com as despesas de alimentação. De acordo com o Ministério do Trabalho, ao considerarmos que a jornada oficial de trabalho é de 220 horas mensais, o trabalhador de Caruaru, no mês passado, precisou trabalhar 57 horas e 47 minutos para pagar o valor apresentado pela cesta básica.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro