4 de janeiro de 2013 às 17h29min - Por Mário Flávio

As más condições e falta de higiene do Matadouro são exemplo das irregularidades da gestão passada – Foto: Wendell Galdino

Depois de avaliar uma série de irregularidades administrativa – e não é exagero, é muita coisa mesmo -, o prefeito eleito de Toritama, Odon Ferreira (PSB), decidiu decretar a existência de situação anormal, ou seja, de calamidade administrativa, com base em denúncias de ingerência municipal, referentes à gestão de Flávio Lima (PSD), de 2009 a 2012. Na cidade, a situação se agravou no fim do ano passado, depois da revolta de servidores municipais, que exigiam pagamento de salários atrasados.

No contexto

Toritama – Funcionários do Hospital Municipal cruzaram os braços para cobrar salário atrasado de novembro

Agora, Odon levou em consideração as constatações de más condições de instalações elétricas de prédios públicos; redução do quadro de profissionais e falta de equipamentos no hospital municipal; de sede para a Secretaria de Ação Social; precariedade no abatimento de animais, diretamente ligado às más condições do matadouro público; deficiência na gerência da Secretaria de Educação; conta do FPM negativa em R$ 35,78; detecção de ingerência nas finanças municipais; falta de informações sobre licitações, contratos, pregões e relatórios de compras; salários de novembro e dezembro de 2012 de servidores municipais atrasados; contas bancárias da prefeitura bloqueadas por determinação da justiça; ausência de orientação da gestão anterior na transição de governo municipal e, como se poderia esperar diante de tudo isso, impossibilidade de renovar contratação de prédios particulares com finalidade pública.

O decreto entrou em vigor ainda na quinta-feira, 03 de janeiro, data de publicação, e tem validade de 180 dias. Cópias do documento foram enviadas para a Secretaria de Cidades do Estado, Gabinete do Governo Estadual, Promotoria do Ministério Público de Toritama e ao Ministério Público Federal, com a finalidade de informar os órgãos competentes e esperar providências para tentar reverter a situação prejudicial no município. Informações apontam que, por enquanto, o ex-prefeito Flavio Lima não apareceu publicamente para se posicionar sobre essas irregularidades. Paralelo a isso, Odon recorreu ao Portal da Transparência para conseguir informações sobre as contas do município. O débito da prefeitura com funcionários e fornecedores chegaria a R$ 7,2 milhões, dos quais R$ 6 milhões processados e R$ 1,2 milhão em processamento para autorização de pagamento. No índice de Lei de Responsabilidade Fiscal, o município já está em  mas em Toritama chega a 67%, quando o limite é de 54%.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro