22 de dezembro de 2011 às 15h00min - Por Mário Flávio

Toritama, município do Agreste Setentrional com o menor território do Estado ganhará deve ganhar um plano urbano ambiental. A cidade convive com uma alta densidade populacional, forte atividade econômica no setor de vestuário, marcada pela existência de diversas lavanderias para beneficiamento de jeans. Essas características levam a problemas de organização urbana.

Integrantes da Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos de Pernambuco, da Agência Pernambucana de Águas e Clima – Apac, Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade e do Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Capibaribe participaram de reunião na Câmara de Vereadores local, com representantes dos setores produtivos e lideranças políticas e comunitárias do município. O objetivo da reunião foi fazer uma consulta técnica sobre os principais problemas enfrentados pela população do ponto de vista ambiental.

A consulta levantou subsídios para a elaboração do Termo de Referência para contratação e elaboração do Plano Urbano Ambiental. A elaboração do trabalho será contratada com recursos do Projeto de Sustentabilidade Hídrica de Pernambuco – PSHPE, de responsabilidade da Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos, em parceria com outras instituições estaduais e recursos do Banco Mundial – Bird com contrapartida estadual.

A ideia de elaborar um plano urbano ambiental para o município surgiu durante uma visita de missão do Bird ao Estado. “Os técnicos perceberam que, além do investimento na obra de implantação do esgotamento sanitário que já estava prevista no escopo do projeto, era preciso investir num trabalho de ordenamento do ponto de vista dos impactos ambientais frente ao crescimento urbano”, disse a coordenadora do PSHPE, Vera Mendes.

O presidente da Agência Pernambucana de Águas e Clima, Marcelo Asfora, destacou a importância da participação do setor produtivo neste momento de se pensar soluções para o futuro do município. Ele destacou que o plano urbano ambiental vai articular as diretrizes contidas no plano diretor de Toritama com o Plano Hidroambiental da Bacia do Capibaribe, na qual o município está inserido. “É preciso equilibrar o desenvolvimento econômico da cidade sem esquecer que é necessário pensar na sustentabilidade ambiental”, ressaltou.

Fonte: Diário Oficial de Pernambuco


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro