11 de outubro de 2013 às 09h25min - Por Mário Flávio

Com a vinda do deputado estadual Tony Gel para o PMDB o que mais se ouve é que acabou a oposição em Caruaru e que o trio João Lyra (PSB), Zé Queiroz (PDT) e Tony Gel vai estar junto no pleito do ano que vem. No entanto, as únicas situações em comum que os três estarão juntos será o apoio aos candidatos indicados por Eduardo Campos para o governo e senado de Pernambuco. Na disputa para o legislativo, ou seja, Câmara Federal e Assembleia Legislativa, cada um tem o seu projeto próprio.

O prefeito Zé Queiroz já tem a estratégia definia para a reeleição do deputado federal Wolney Queiroz (PDT). Ele vai dobrar em Caruaru com o maior número de candidatos a deputados estaduais possíveis. Nessa cota entram Laura Gomes (PSB), Dr. Demóstenes (PTB), Roberto Liberato (PRP) e Adolfo José (PSD). Os governistas esperam ainda pelo sinal verde de Raquel Lyra (PSB), para ajudar na composição.

Essa aliança com a herdeira política da família Lyra é incerta. O ranço entre João e Zé segue firme e a distância entre os dois líderes os afastam cada vez mais de objetivos políticos. Caso se confirme mesmo o rompimento, Raquel pode sair sem candidato a deputado federal em Caruaru, já que dificilmente os Lyra iriam voltar a fazer dobradinha com candidatos de fora, como já houve com Sérgio Guerra, na década de 1990. O eleitor de Caruaru não vê com muita simpatia esse tipo de aliança.

No campo da oposição o deputado estadual Tony Gel ainda não decidiu se disputa a reeleição para a Alepe ou tenta voltar para a Câmara Alta. Se o ex-prefeito for mesmo disputar um mandato de deputado federal, Miriam Lacerda seria o nome para compor a chapa e vai tentar voltar a disputar um mandato na Assembleia. Com os cenários montados, fica mais provado que a aliança entre João, Tony e Zé se entende apenas a majoritária de 2014 e após o pleito, tudo volta ao normal e os três palanques para o pleito de 2016 começarão a serem erguidos.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro