3 de agosto de 2013 às 07h25min - Por Mário Flávio

20130802-204046.jpg

O deputado estadual Tony Gel (DEM) concedeu entrevista à Rádio Liberdade nesta sexta-feira (02) e questionou o número de processos contra ele junto ao Ministério Público de Pernambuco. Na verdade, ao ser questionado sobre a postura dos vereadores de oposição ao rejeitarem o projeto que atualizaria o Sistema de Transporte Público em Caruaru, o ex-prefeito da cidade acabou lembrando que responde a mais de um processo impetrado pelo MPPE, justamente devido a uma denúncia de não ter realizado o processo licitatório de linhas de ônibus durante seus dois mandatos de prefeito município, de 2000 a 2007.

“Eu acredito que deve ser bem atualizado. Mas gostaria de esclarecer que uma das denúncias contra mim é de que nós não fizemos a licitação a tempo, das permissões para ônibus. Em vez de se oferecer uma licitação só, o ministério dividiu esse caso dividiu em seis processo, não sei porque foi dividiram. Pegaram duas empresas e colocaram em um processo, mais dois processos em outro. Nós iniciamos o processo da licitação, mesmo assim, estou sendo processo porque não foi feita a licitação. E olha que os empresários me pressionaram para renovar o contrato de cada empresa por mais 15 anos. Eu não renovei porque é inconstitucional. Eu disse que encontraria uma maneira de dar um prazo para fazer os levantamentos e iniciar o processo. Nem Ministério Público teve a boa vontade de observar esses documentos, nem a Justiça até agora checou isso direitinho. Mas nós vamos ter tempo para provar tudo isso, haverá testemunhas e documentos suficientes. Vamos derrubar tudo com a verdade”, ressaltou.

Além disso, o deputado voltou a desabafar seu descontentamento com a postura do Ministério Público. Ele não chega a acusar ninguém, mas diz estar sendo massacrado judicialmente e que poderá “tomar medidas cabíveis” no futuro. “Eu estou sendo massacrado, acusado de algo que não cometi, porque há muito tempo meus antecessores concediam 10, 15 anos de contrato às empresas, eu concedi apenas 5 anos, enquanto o processo licitatório era resolvido. Daqui a pouco estarão dizendo ‘Tony Gel condenado de novo’. Serei o primeiro a ser condenado por isso, porque no Brasil ninguém fez, nem Dilma. Tem uma Lei 8987, de 1995, das Concessões, que foi editada para que o governo federal organizasse todas as permissões e concessões precárias, a exemplo de Caruaru, até hoje não se fez isso. Dilma não é investigada por isso, nem Lula, só Tony Gel. E o que é pior: o mesmo Ministério Público que ofereceu a denúncia contra mim, fez um TAC com a atual administração. Dois pesos e duas medidas? Porque não fez um TAC comigo. Porque não entenderam a complexidade do caso comigo? Mas com calma, estou analisando tudo e juntando informações. No momento certo, vamos tomar as medidas cabíveis”, acrescentou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro