17 de janeiro de 2012 às 09h00min - Por Mário Flávio

Mesmo assim entrega de título foi aprovada por seis votos a três

Além da polêmica gerada pela aprovação do relatório de denúncias contra a prefeita Carmem Miriam (PT) na sessão desta segunda-feira (16), na Câmara Municipal de Agrestina, o que levantou protestos foi o projeto do vereador Adilson Tavares “Gordo de Zelito” (PP) para conceder título de cidadão ao ex-prefeito da cidade, Josué Mendes. Uma grande parte do público presente formado por eleitores da situação criticou que Josué não merecia o título por ter sido classificado como Ficha Suja, depois de ter sido condenado por improbidade administrativa pelo TCE-PE.

Durante a votação, Gordo de Zelito, em meio a vaias e provocações do público, defendeu a trajetória de Josué durante seus mandatos no município. “Josué fez e fará muito ainda pelo desenvolvimento de Agrestina, ele nunca deixou o município na mão”. No entanto, o vereador Ivan Véras (PT) foi rígido quanto às suas críticas a situação política do ex-prefeito. “Pelo trabalho e histórico de Josué, ele merece reconhecimento em Agrestina, até porque ganhei meu título de cidadão pelos meus serviços prestados no município, mas o ex-prefeito é Ficha Suja e eu não poderia dar meu voto de aplauso nem votar em favor desse título”, salientou o petista.

Mesmo assim, a concessão do título foi aprovada, em matéria de dois terços, por 6 votos a 3. O voto de minerva foi dado pelo presidente da Câmara, Paulo Sargento (PDT), que citou a importância da entrega do título de cidadão, justificando seu voto favorável.

IMPROBIDADE

Josué Mendes foi prefeito por três vezes em Agrestina e teve as contas de sua gestão de 2004 rejeitadas pelo Tribunal de Contas, devido a irregularidades referentes a processos licitatórios, falsificação de documentos, pagamento indevido de professores e contratação irregular de empresa.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro