19 de julho de 2012 às 19h21min - Por Mário Flávio

Com informações da Agência Estado

O superintendente de serviços privados da Agência Nacional de Telecomunicações, Bruno Ramos, informou nesta noite de quinta-feira (19), após reunião com executivos da TIM, que a empresa questiona os parâmetros utilizados pela Anatel para determinar a suspensão da venda de novas linhas da operadora em 19 Estados. Apesar da ponderação, a companhia vai apresentar, na segunda-feira (23), um plano preliminar de investimentos para atender às exigências da Anatel. Segundo Ramos, a empresa ainda pode recorrer da decisão administrativamente ou mesmo na Justiça.

“A TIM questiona os indicadores, mas os nossos dados mostram que a companhia não está entregando os serviços contratados pelos usuários”, disse o superintendente. Ele reforçou que a Anatel exigirá uma programação de investimentos que supram o aumento da demanda das operadoras e irá acompanhar a taxa de evolução da qualidade mês a mês. “Você precisa ter rede para suportar o aumento do tráfego”, completou.

De acordo com Ramos, no caso da TIM, a operadora aumentou muito seu volume de chamadas interurbanas nos últimos meses e esse critério será utilizado pela Anatel ao analisar a proposta da companhia para que a suspensão das vendas possa ser cancelada. “Temos um grupo de engenheiros que irá analisar as propostas. Saberemos dizer se o plano é de papel ou se será mesmo implementado.”

Pernambuco

Entre os estados onde a venda de novas linhas da TIM estão proibidas está Pernambuco, que apresentou a pior média de reclamações de consumidores, chegando a 60% e superando as operadoras Claro, OI e Vivo, segundo dados da Anatel. Além disso, Pernambuco é apontado como um dos estado que reúne o maior número de reclamações por acesso ao serviço de telefonia móvel, junto com Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal.

TIM reconheceu medida da Anatel como desproporcional


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro