4 de abril de 2014 às 07h05min - Por Mário Flávio

20140404-070548.jpg

O secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, que deixa, nesta sexta-feira (04), a titularidade da pasta que ocupa desde 2011, reuniu, na manhã de hoje, em seu gabinete, servidores e colaboradores para agradecer o esforço e o empenho da equipe na condução dos trabalhos confiados a cada um dos funcionários ao longo dos últimos três anos e meio. “Muito me orgulha ter participado de um governo que trouxe enormes mudanças e transformações para Pernambuco em todas as áreas e, de pronto, agradeço a colaboração de todos que de forma direta ou indireta contribuíram para que nossas ações à frente da Secretaria da Casa Civil fossem reconhecidas tanto dentro como fora do Governo”, destacou.

O secretário disse, ainda, que sai do Governo do Estado, com o compromisso de permanecer na defesa do legado deixado pela gestão do governador Eduardo Campos, que olhando, sobretudo, para as camadas menos favorecidas da população, criou uma séria de políticas públicas que tiveram como foco atender as reais necessidades do povo pernambucano do Litoral ao Sertão. “É com orgulho que vimos o índice de criminalidade no Recife sofrer uma redução de 60%, deixando de ser a capital mais violenta do país para tornar-se a mais segura do Nordeste, após a implantação do Pacto pela Vida”, ressaltou.

Durante o encontro informal com os servidores, o secretário Tadeu Alencar fez questão de relembrar os avanços alcançados na saúde, com a inauguração de três novos hospitais metropolitanos e 14 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que levaram à população assistência médica de qualidade e sobretudo com respeito à dignidade humana. “Na área de educação, vimos adolescentes de inúmeras escolas estaduais realizarem intercâmbios internacionais para aprenderem além das línguas espanhola e inglesa, se prepararem para a vida e para um futuro melhor e mais promissor”.
Por fim, Tadeu Alencar relembrou os índices de crescimento econômico alcançados pelo Estado, com a atração de grandes investimentos na criação de novos polos industriais, sobretudo no interior, levando à geração de emprego e renda à população de municípios a exemplo de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul, e Goiana, na Mata Norte. “Não poderia deixar de destacar a importância do Fundo de Apoio aos Municípios (FEM), que com a redução do repasse de verbas federais para os estados e municípios, garantiu a construção de equipamentos necessários à melhoria da qualidade de vida da população em todos os municípios pernambucanos”, afirmou ao mesmo tempo em que lembrou a forma transparente e sem distinção de qualquer natureza.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro