17 de dezembro de 2012 às 07h55min - Por Mário Flávio

Duas situações chamaram atenção durante a última sexta-feira. O primeiro diz respeito ao anúncio de parte do secretariado do prefeito Zé Queiroz (PDT). O coordenador da equipe de transição, deputado federal Wolney Queiroz (PDT), não foi ao anúncio dos nomes que tiveram a participação ativa e coordenação dele. Todos se perguntaram pela ausência do herdeiro político do prefeito de Caruaru.

A ausência de Wolney foi explicada ainda na manhã da mesma sexta. Ele preferiu prestigiar ao vice-governador, João Lyra (PDT), que concedia entrevista na Rádio Cultura. A ida de Wolney e depois de Zé Queiroz e Jorge Gomes (PSB) ao estúdio da emissora, mostra uma tentativa de reaproximação entre as duas lideranças da Frente Popular em Caruaru. O próprio Lyra reconheceu o gesto. “Se ele (Queiroz) esteve aqui na emissora, tenho que reconhecer esse gesto de aproximação”, disse.

Os gestos de Zé Queiroz e Wolney, estrategicamente deixam claro a ideia de enquanto um estava no ataque apresentando o secretariado e a promessa de um governo com intensa participação popular, o outro estava na defesa, para reaproximar João de Zé.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro