7 de abril de 2015 às 08h16min - Por Mário Flávio

 

 O Sinpol (Sindicato da Polícia Civil de Pernambuco) iniciou a Operação Polícia Cidadã com uma entrevista coletiva à imprensa esclarecendo à sociedade os procedimentos que os policiais civis de deverão cumprir no exercício de sua função. Além da Operação, o Sinpol também apresentou um dossiê sobre o estado de delegacias e das três unidades do Instituto de Medicina Legal (IML). O presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, explicou que os policiais civis que estiveram exercendo atividades além de sua função legal, deve negar-se a fazê-lo. 

Da mesma forma, nenhum deles deve sair para o trabalho policial sem as devidas exigências, como viatura em boas condições e com documentação regular, Equipamento de Proteção (EPIs) dentro da validade e estrutura física condizente com o exercício da função. Áureo considerou a situação das delegacias em Pernambuco como “caóticas”, “medievais” e “desumana”. Ainda esta semana, o Sinpol entrará com ação civil contra o governo para interditar as unidades do IML de Petrolina e Recife, as delegacias de Moreno, Cabo de Santo Agostinho e Macaxeira, no Recife.

 Abaixo os principais problemas apresentados 

INSTALAÇÕES FÍSICAS

·        Ausência de dormitório; ausência de dormitório feminino (apenas masculino); dormitório insalubre;

·        Cozinha sem as mínimas condições de higiene e uso;

·        Banheiros sem a mínima condição de higiene e uso;

·        Tetos e paredes com infiltrações, mofo, buracos;

·        Falta d’água; canos e esgotos estourados;

·        Ausência de ar-condicionado; ar-condicionados sujos e sem manutenção; prédios com ausência de ventilação;

·        Xadrez (para prisão provisória) sem as mínimas condições humanas, úmidos, insalubres e escuros;

·        Ausência de garagem para guardar viaturas;

·        Instalações elétricas caóticas; fios elétricos expostos, lâmpadas queimadas; iluminação inadequada; gambiarras elétricas.

CONDIÇÕES DE TRABALHO

·        Delegacias sem funcionar a noite e em feriados;

·        Plantões de final de semana com apenas um agente de polícia, os chamados “plantões solitários”;

·        Constante ausência da autoridade policial, o Delegado;

·        Coletes de bala vencidos;

·        Viaturas sem condições de uso; em más condições de uso ou sem combustível;

·        Viaturas com falhas estruturais no Xadrez (local onde se conduz suspeitos presos), com ocorrência de fugas por conta dessas falhas;

·        Viaturas com documentação ou em situação irregular com o Detran;

·        Irregularidade ou ausência no fornecimento de água potável, tanto para os policiais, quanto para a população atendida;

·        Cartório improvisado, com documentos expostos à umidade, ao mofo e infiltrações;

·        Recepção inadequada ou ausência de recepção para o adequado atendimento à população.

 INSTITUTO DE MEDICINA LEGAL (IML)

No IML de Petrolina, encontramos a seguinte realidade:

·        A rampa de acessibilidade da calçada estava quebrada e remendada com asfalto

·        Muitos dos ar-condicionados estão quebrados;

·        Constante ausência de médicos legistas;

·        Alojamento para as pessoas do administrativo com camas quebradas, colchões sujos;

·        A máquina de radiologia guardada indevidamente no depósito;

·        Não existe armário para guardar materiais de limpeza e higiene;

·        Materiais coletados expostos sem lugar adequado e seguro para acondicionamento;

·        Aparelho para exame sexológico não está sendo utilizado por falta de estrutura;

·        A sala do gestor é no antigo banheiro, mesmo assim, cheia de caixas empilhadas;

·        Gambiarras elétricas por todos os lados;

·        Depósito de lixo improvisado;

·        Beliches dos alojamentos comprados pelos próprios funcionário e colchões mofados;

·        Sala de material para utilizar nas perícias sem as mínimas condições de acondicionamento;

·        Pouca quantidade de Macacões (roupa de trabalho) utilizadas pelos profissionais para fazer a perícia;

·        Local para higienização dos materiais utilizados nas perícias precário. Uma torneira sustentada por quatro tijolos;

·        Local para guardar as EPIs para necropsia em armário improvisado pelos funcionários;

·        Teto com infiltrações, goteiras, rachado;

·        Péssimas condições do local onde os carros deixam os corpos;

·        As geladeiras têm apenas quatro gavetas e os corpos são acumulados, chegando a suportar quatro corpos em uma só gaveta;

·        Também existe gavetas quebradas, com vazamento e estrutura rachada;

·        A falta material para exame laboratorial é crônica;

·        O “mata mosca” não funciona mais.

Em Caruaru o descaso se repete.

·        Várias gavetas de acondicionamento de cadáveres sem funcionar;

·        Ausência de materiais ou materiais inadequados para a manipulação de cadáveres;

·         Lixo hospitalar exposto em condições inadequadas;

·        Geladeiras sem funcionar;

·        Documentos empilhados;

·        Fios expostos.

RECIFE 

·        Portão eletrônico de entrada de viaturas que não funciona, ficando aberto durante dia e noite;

·        Não há gerador de energia. Qualquer falta de fornecimento elétrico pode prejudicar os materiais acondicionados em freezers e geladeiras;

·        Não há alojamento para os maqueiros, que dormem de improviso no chão;

·        Muitos equipamentos são descartados inadequadamente, inclusive equipamentos que podem conter materiais tóxicos e radioativos;

·        Os armários dos funcionários nos alojamentos estão enferrujados, sujos, quebrados;

·        Os banheiros são um nojo completo, insalubres e sem condições de uso. Em um deles, o teto desabou. Em outros, não há distinção entre banheiro feminino e masculino;

·        Pias para lavar equipamentos em péssimas condições;

·        Sala de arquivo com mofo, infiltrações, fios expostos. Arquivos amontoados;

·        Almoxarifado em péssimas condições de uso, caótico e com infiltrações;

·        Sala de necropsias sem as mínimas condições de higiene. Péssima conservação das pias, uso inadequado de materiais de perícia como barras de madeira, serras de marceneiro, escope etc.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro