20 de janeiro de 2021 às 07h55min - Por Mário Flávio
(Brasília – DF, 26/11/2020) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

A cadeia produtiva da ovinocaprinocultura do Nordeste vai contar com novos investimentos do Governo Federal por meio da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). A descentralização de mais de R$ 426 mil recursos para incremento da inovação tecnológica em polos produtores da região foi ratificada nesta terça-feira (19) durante audiência entre o superintendente da autarquia federal, Evaldo Cruz Neto, e Marco Aurélio Bomfim, chefe-geral da unidade Caprinos e Ovinos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), localizada em Sobral (CE).

O diretor de planejamento e articulação de políticas da Sudene, Raimundo Gomes de Matos, também participou da solenidade. “É um prazer estabelecer a parceria com a Embrapa para fomentar a pesquisa e o desenvolvimento neste setor. Que seja a primeira de muitas iniciativas que possam contar com o apoio da Sudene”, comemorou o dirigente máximo da superintendência. Evaldo Cruz Neto adiantou, ainda, a possibilidade de publicação futura de um edital específico para seleção de projetos na área de ovinocaprinocultura.

Chefe-geral da Embrapa Ovinos e Caprinos, o pesquisador Marco Bomfim classificou a assinatura como uma oportunidade para o exercício de uma estratégia que integra várias políticas públicas para os territórios do semiárido nos quais esta atividade econômica é relevante.

As ações ratificadas pela parceria entre as instituições serão implementadas em vários estados nordestinos e pretendem superar os principais gargalos tecnológicos da produção de caprinos e ovinos. Parte dos recursos serão destinados à instalação de um núcleo avançado da Embrapa Caprinos e Ovinos na Bahia. A unidade vai mapear as principais doenças que acometem os rebanhos da região e elaborar um plano de controle para o polo produtor no município de Jacuípe. No mesmo local, será implementado um programa de cruzamentos de ovinos e caprinos de corte, visando a formação de rebanhos com qualidade genética crescente.

No Piauí, o projeto Sudene – Embrapa vai estruturar uma unidade de apoio laboratorial para a orientação nutricional no polo do Vale do Itaim. A ideia é oferecer serviços de consultoria a produtores e técnicos da região, a exemplo da estimativa de consumo dos animais, suplementação de rações e produção de boletins informativos com dicas. O polo também deve promover estudos e pesquisas relacionadas ao cruzamento dos animais.

Já a região do Cariri paraibano, que reúne 29 municípios, vai receber um centro de referência tecnológica em integração lavoura-pecuária-floresta para a Caatinga. Por meio desta técnica, territórios de pastagens passam por um processo de recuperação, ao mesmo tempo em que são implementados, naquelas propriedades, sistemas produtivos de alto valor agregado.

Com isso, novas práticas econômicas podem ser desenvolvidas na região, com base em técnicas e sistemas de manejo sustentável do solo. O plano de trabalho do projeto também prevê o desenvolvimento de um cardápio forrageiro para o aumento da segurança alimentar dos rebanhos, garantindo a manutenção da atividade pecuária em situações de déficit hídrico típicos do semiárido.

Além da expansão de serviços de inovação tecnológica no setor de ovinocaprinocultura, o projeto também vai oferecer capacitação técnica a produtores em cada um dos polos. Serão realizadas consultorias por técnicos da Embrapa e distribuição de material informativo.

O diretor de Planejamento e Articulação de Políticas da Sudene, Raimundo Gomes de Matos, explicou que a celebração do acordo entre a Sudene e a Embrapa faz parte do conjunto de atividades previstas pelo Plano Regional do Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE) para fomentar as vocações econômicas típicas da área de atuação da autarquia. O projeto de lei que institui a iniciativa encontra-se em tramitação na Câmara dos Deputados e aguarda votação em regime de urgência.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro