6 de fevereiro de 2012 às 15h15min - Por Mário Flávio

Após votação os servidores rejeitaram a proposta da prefeitura e a paralisação de 24 horas foi mantida pelos servidores da Destra

Por volta de 12h30 os servidores da Destra (Agentes de Trânsito e Guardas Municipais) se reuniram na frente do Sismuc para iniciar a paralisação de advertência. O prefeito Zé Queiroz enviou por meio do secretário de Administração e Gestão de Pessoas, Antônio Ademildo, uma pauta atendendo a algumas reivindicações. No entanto, o ofício enviado pela prefeitura com as propostas não surtiu efeito e a paralisação foi mantida.

O reajuste salarial segue sendo uma das principais reclamações dos servidores. A prefeitura sugeriu um reajuste de 12,8%, mas a proposta foi recusada pelos servidores. “Hoje os servidores da Destra recebem  900 reais bruto, com os descontos esse valor fica ainda menor. Desde o início das atividades, que o salário segue congelado. Ao contrário do que foi divulgado não houve reajuste algum, a única conquista que pode ser comemorada é o fato de os servidores estarem sendo ouvidos, algo que acontece pela primeira vez”, disse o presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça.

A adesão da categoria foi grande e o número de Agentes e Guardas Municipais surpreendeu. Dos 120 servidores, 76 foram a sede do Sindicato. A grande expectativa agora é como os motoristas irão se comportar no resto do dia e nesta terça, quando é realizada a Feira da Sulanca.

A prefeitura de Caruaru envio nota e lamentou a decisão da categoria. Segue a nota:

Comunicado à imprensa

A Prefeitura de Caruaru reconhece o legítimo direito de Guardas Municipais e Agentes de Trânsito em reivindicar o que entendem como justo. No entanto, a administração lamenta a decisão da categoria em paralisar as atividades por 24 horas, afinal a negociação está aberta e há a clara intenção da Prefeitura em atender, dentro do possível, as reivindicações. Tanto que dos 14 itens da pauta, 13 foram contemplados pela Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas, que até esta segunda (06) ainda intermediava as negociações.

A Prefeitura ofereceu um reajuste de 12,8%, recompondo as perdas da inflação durante o período de 2010 e 2011, com base nos indicadores do IPCA/IBGE. A gestão foi além, e ofereceu a criação de uma data base, com referência em janeiro, e realinhamento salarial automático em 2013, também definido pelo IPCA/IBGE. Os Guardas e Agentes, porém, desejam um aumento de mais de 20%, quase duas vezes superior à inflação dos últimos dois anos e bastante acima da média de reajuste dos demais trabalhadores brasileiros.

Todos os pontos restantes da pauta foram atendidos, com o compromisso de reformar o Núcleo Integrado em 60 dias e adquirir mais equipamentos de segurança no mesmo prazo, além da instalação de uma mesa permanente de negociação, ampliando o diálogo com a categoria.

A jornada de trabalho restou como único item de debate, com o pleito de Guardas e Agentes de Trânsito em reduzir a carga de 44 para 30 horas semanais. A Prefeitura lembra que o concurso que aprovou os Guardas e Agentes data de 2009 e no edital está prevista a carga de 44 horas semanais. A Prefeitura não pode simplesmente modificar um edital publicado, o que seria uma ilegalidade administrativa gravíssima. Ainda assim, a gestão comprometeu-se a estudar o caso para tentar encontrar alternativas. É importante salientar que todos os que fizeram o concurso público tinham conhecimento da carga de trabalho, devidamente especificada no edital.

Segue abaixo o ofício com as propostas da prefeitura.

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro