11 de abril de 2012 às 16h17min - Por Mário Flávio

Os agentes e guardas municipais da Destra que permanecem em greve lotaram a Câmara Municipal de Caruaru nesta quarta-feira (11) pela manhã, durante audiência pública em que estiveram presentes o presidente do legislativo, Lícius Cavalcanti (PCdoB) e o vereador líder da base do governo, Adolfo José (PSD), além do presidente do SISMUC, Eduardo Mendonça. A intenção dos grevistas foi apelar que o poder legislativo se posicione diante do impasse da greve, entrando no diálogo com os representantes da prefeitura municipal. Além do reforço a reivindicação de reajuste salarial, os 90 grevistas participantes da reunião votaram unânimes pela continuação da greve por mais 30 dias.

Quem apareceu rapidamente na audiência foi o assessor especial do prefeito, Reginaldo França, que entrou na câmara, viu como estava o clima da reunião, mas foi embora sem participar das conversações. Ele não quis falar com a imprensa, mas deixou a impressão de que considerou a reunião na câmara inadequada e uma barreira a mais aos diálogos que vem sendo feitos com os articuladores da prefeitura. Não é o que pensa, no entanto, um dos líderes da greve, Regivan Alencar. “Esse encontro na Câmara de modo algum atrapalha as negociações, pois serve para chamar a atenção do poder público e da própria população para que as negociações sejam agilizadas. Talvez precisemos de alguém mais próximo ao prefeito para conseguir um posicionamento direto do próprio Zé Queiroz. Não adianta ficar no leva e traz nas negociações, o prefeito precisa nos escutar e tomar sua decisão. Hoje Adolfo José esteve presente aqui e acreditamos que ele tenha entendido nossas reivindicações”, explicou o grevista.

E essa decisão do prefeito, na opinião de Lícius Cavalcanti, precisa ser tomada logo e baseada nas concessões que ambas as partes estejam dispostas a fazer, a fim de evitar que o serviço prestado pela autarquia continue prejudicado. “Essa greve já dura um mês e o impasse nas negociações continua porque tanto um lado quanto outro têm suas razões a reivindicar, mas é preciso que grevistas e a própria prefeitura reflitam sobre o impacto da greve sobre o serviço da Destra em Caruaru. A autarquia havia começado a mudar a educação no trânsito na cidade e a greve prejudicou isso, o que pode desgastar a imagem da prefeitura”, explicou Lícius. Veja a reportagem da TV Criativa com Edvaldo Magalhães.

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro