21 de março de 2013 às 11h56min - Por Mário Flávio

assembleiaDestra

Em Assembleia realizada pelos servidores da Destra em Caruaru na manhã desta quinta-feira (21), guardas municipais e agentes de trânsito apresentaram pontos de vista bastante diferentes quanto ao entendimento com a presidência da autarquia e a análise da proposta de reajuste da prefeitura. Em relação às paradas de advertência, não houve consenso. Os representantes da Guarda Municipal presentes votaram contra novas paralisações, enquanto os agentes de trânsito decidiram que pretendem realizar nova manifestação.

No contexto

Perfil – Coronel Zé Carlos será o novo diretor-presidente da Destra a partir de 2013

Prefeitura diz que Guardas Municipais não aderiram a paralisação

A reunião contou com duas votações. Pela Guarda Municipal, 9 votaram contra uma nova parada, enquanto 2 que queriam paralisação. Já em relação aos Agentes de Trânsito, 15 votaram a favor das paralisações, contra 2 votos. Os agentes querem o aumento de 5 mais 5% de ganho real. Com o fim da assembleia, o Sindicato dos Servidores Municipais de Caruaru (SISMUC) informou que vai  enviar ofício esclarecendo que guarda municipal aceita proposta de reajuste de 5,8%. Segundo os representantes presentes na reunião, a categoria está satisfeita com a proposta e com a nova política de relacionamento da direção da Destra, atualmente sobre o comando do Cel. Zé Carlos.

Posicionamentos contrários principalmente no fator financeiro, pois enquanto a guarda municipal fala em satisfação, os agentes de trânsito reclamam de falta de diálogo com a prefeitura. Segundo o presidente do Sindicato, Eduardo Mendonça, “Cada categoria é soberana para decidir se entra ou não em greve. Foi sentido na última assembleia que a Guarda Municipal não aderiu à mobilização. Essa reunião de hoje definiu bem essa separação, mas que não se trata de desunião. Os guardas apenas entenderam que a proposta da prefeitura é justa, enquanto os agentes de trânsito considera injusto o que foi oferecido. Mas isso mostra a independência entre as categorias, inclusive em relação ao sindicato, pois se pensa muitas vezes que é o sindicato que encaminha as greves, mas apenas encaminhamos apenas a vontade da maioria”, explicou Eduardo.

No entanto, o presidente do sindicato ressaltou que a resistência dos agentes de trânsito se deve também ao fato de que há pontos pendentes do Termo de Ajustamento de Conduta que pôs fim à greve dos servidores da Destra em 2012. Entre as cobranças dos agentes, está a implantação de um ponto de apoio no centro de Caruaru e a implementação de um Plano de Cargos e Carreiras.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro