7 de março de 2016 às 07h33min - Por Mário Flávio

Sérgio-Moro_foto_gil_ferreira_-_divulgacao_cnj

Avesso a entrevistas e longe dos “holofotes” das televisões desde que assumiu a condução da “Operação Lava Jato”, o juiz Sérgio Moro viu-se obrigado neste sábado (5) a dar explicações por meio de nota sobre a “condução coercitiva” do ex-presidente Lula à Polícia Federal para dar explicações sobre sua suposta participação no esquema criminoso da Petrobras.

Moro teria ficado preocupado com a repercussão do caso no Brasil e no mundo porque muitos juristas importantes e a própria presidente Dilma Rousseff consideraram “desnecessária” e “inoportuna” a forma como o ex-presidente foi levado para depor.

Veja, abaixo, a íntegra da nota de Sérgio Moro:

I- Nota oficial da 13ª Vara Federal de Curitiba

A pedido do Ministério Público Federal, este juiz autorizou a realização de buscas e apreensões e condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar depoimento.

II- Como consignado na decisão, essas medidas investigatórias visam apenas ao esclarecimento da verdade e não significam antecipação de culpa do ex-presidente.

III- Cuidados foram tomados para preservar, durante a diligência, a imagem do ex-presidente. Lamenta-se que as diligências tenham levado a pontuais confrontos em manifestação políticas inflamadas, com agressões a inocentes, exatamente o que se pretendia evitar.

IV- Repudia este julgador, sem prejuízo da liberdade de expressão e de manifestação política, atos de violência de qualquer natureza, origem e direcionamento, bem como a incitação à prática de violência, ofensas ou ameaças a quem quer que seja, a investigados, a partidos políticos, a instituições constituídas ou a qualquer pessoa.

V- A democracia em uma sociedade livre reclama tolerância em relação a opiniões divergentes, respeito à lei e às instituições constituídas e compreensão em relação ao outro.

Curitiba, 05 de março de 2016.
Sergio Fernando Moro


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro