21 de fevereiro de 2021 às 07h03min - Por Mário Flávio

Faltando menos de uma semana o Central mostra como o clube vem sendo gerindo nos últimos meses e mais uma ação desesperadora foi tomada para tentar evitar o vexame de um possível rebaixamento.

Isolado e perdido na gestão do clube, o atual presidente, Alexandre César, recorreu aos ex-presidentes Sivaldo Oliveira e Antônio Amâncio para que os mesmos ajudem a fortalecer o elenco, que está treinando no Lacerdão. O ex-vice-presidente Airton Júnior também deve voltar para pleitear algum cargo. Todos tiveram uma reunião ontem para decidir como será essa ajuda.

O curioso é que a exceção de Amâncio, os demais disputaram a eleição contra Alexandre e fizeram oposição ferrenha a gestão atual. Sivaldo deve voltar a comandar a direção de futebol do clube e já promete contratações. Outro detalhe é que o Central tem várias ações na justiça dê ex-jogadores e até de membros de comissões técnicas passadas, que foram contratados justamente por alguns ex-cartolas que estão voltando ao clube.

De acordo com o blog de Eri Santos o técnico Nenê Vanucci deve sair e Marcão também. Tudo isso faltando seis dias para a estreia do clube contra o Náutico nos Aflitos pelo estadual. Lembrando que o Central jogou um amistoso contra o São Paulo Cristal no Lacerdão e perdeu por 1 a 0.

Alexandre César disse ao blog de Eri que pretende voltar atenção para outros departamentos, diminuindo sua participação direta no departamento de futebol. Segundo ele, o assunto não foi decidido em uma reunião apenas. Foi resultado de conversas que começaram há duas semanas. 

“Eu já não aguentava mais. Fiz tudo que achei que seria o melhor para o clube. Mas, a pressão, que envolveu ameaças à minha integridade física e também de minha família, inclusive os meus negócios, estava insuportável. Até manifesto em frente à meu ponto comercial fizeram, pixações, etc”, afirmou o presidente em entrevista ao blog.

“Não estou me afastando. Vou cumprir meu mandato, até porque amo o clube e tenho que prestar contas de minha gestão. Vou participar das decisões, mas o ‘comitê’ comandará as mudanças necessárias no time para termos uma boa participação no campeonato e conseguir ao menso a vaga para a série D, e assumirá os compromissos que forem feitos daqui pra frente”, disse Alexandre César, que afirmou que pode antecipar o fim de seu mandato, que vai até o fim de 2021. “Estou muito tranquilo. Confiante que foi o melhor pra mim e minha família”, concluiu.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro