4 de junho de 2018 às 07h46min - Por Mário Flávio

Por Inaldo Sampaio

O senador Humberto Costa dá como certa a vitória do seu grupo na reunião do PT no próximo dia 10 para decidir se o partido terá ou não candidato próprio ao governo estadual. O senador tem conhecimento de que a militância sindical do partido torce por Marília Arraes.

Mas tem o controle da burocracia partidária, especialmente depois que o ex-prefeito João Paulo deixou o partido. Sendo assim, teria a maioria dos cerca de 300 delegados que irão decidir esta parada, o que lhe daria o direito de disputar a reeleição na chapa da Frente Popular. Sem Marília na disputa, a esperança de segundo turno estará nas mãos do ex-prefeito de Petrolina, Julio Lossio, filiado à Rede de Marina Silva.

Se ele obtiver pelo menos 10% dos votos dos eleitores que não querem votar em Paulo Câmara nem no senador Armando Monteiro, que são os dois principais competidores, pode levar a disputa ao segundo turno. O problema é que o partido de Lossio terá um tempo ínfimo de TV. Não tem sequer cinco representantes na Câmara Federal, o que vai deixar a própria Marina fora dos debates de televisão.

Óbvio que se fala aqui sobre um cenário hipotético porque a derrota de Marília Arraes no cartório do PT ainda não se consumou. E, com ela no páreo, é grande a probabilidade de haver segundo turno. Sem ela só o ex-prefeito de Petrolina e sua bandeira “Pernambuco pode mais” pode garantir essa façanha.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro