16 de julho de 2012 às 16h11min - Por Mário Flávio

A Secretaria de Saúde informou, através de nota, que dos 17 animais que estavam na carrocinha interceptada pela polícia, na sexta-feira (13), dez foram submetidos à eutanásia no Canil Municipal porque apresentaram positividade para leishmaniose ou eram cães com doenças terminais, entregues por proprietários para interrupção do sofrimento. Os demais tiveram morte natural, sem terem sofrido nenhum tipo de violência, conforme constatado por perita do IC (Instituto Criminalista) que foi chamada à 3 ª Delegacia de Polícia no momento da ocorrência. O levantamento dessas informações é uma resposta às denúncias feitas pela UDERVA, sobre maus tratos a animas em Caruaru, que repercutiram no Congresso Nacional, inclusive.

A Secretaria também frisou que as fotos veiculadas em redes sociais não representam que esses animais foram executados em via pública. À pedido da perita do IC, eles foram retirados da carrocinha para serem verificados se houve agressão durante a morte. A perícia constatou que não houve maus tratos e que, parte deles, foram submetidos à eutanásia mediante aplicação do anestésico tilpental. As devidas normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde foram cumpridas.

No contexto

Matança de animais por Departamento de Vetores de Caruaru vai parar na Delegacia

Na nota, a secretaria também esclareceu que laudos que estavam no Canil Municipal foram entregues ao delegado da 3ª DP ainda na sexta-feira. Os demais, que estavam na sede do Departamento de Controle de Vetores, serão entregues nesta segunda-feira,16, para serem anexados ao inquérito. Ainda sobre o canil, a secretaria explicou que o espaço foi instalado recentemente em área rural alugada para esse fim e que estão sendo realizadas as adaptações necessárias para adequar os canis e gatis às normas técnicas vigentes e às necessidades dos animais.

A foto divulgada na internet teria registrado a matança de animais

Procedimento de Eutanásia

O procedimento de eutanásia é realizado rotineiramente pelo Setor de Vigilância Animal, em cumprimento à legislação sanitária, sempre que um animal apresenta resultado positivo para leishmaniose, ou nos casos em que haja risco comprovado para a população.

O Setor de Vigilância Animal da Secretaria de Saúde é responsável pela vigilância da raiva humana e pelo controle da Leishmaniose canina, tendo pactuado com o Ministério da Saúde coletas em áreas endêmicas para realização de sorologias caninas, diagnóstico da leishmaniose e vacinação permanente dos animais, para prevenção da raiva.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro