1 de fevereiro de 2013 às 09h51min - Por Mário Flávio

Roda de Conversa

A Diretoria de Juventude da Prefeitura de Caruaru buscou dar um pontapé inicial ao ciclo de diálogos com os jovens da cidade com o evento Roda de Conversa, que na noite dessa quinta-feira (31) abriu espaço para discutir o impacto das redes sociais como instrumento para democratizar o acesso à comunicação. Durante o evento, realizado no Museu de Barro e com participação de 62 pessoas, foi formada uma mesa pelos jornalistas Hélio Jr e Clarice Xavier, pela Secretária Municipal de Participação Social, Louise Caroline, e pelo vice-presidente da Juventude Nacional do PSDB, Raffiê Dellon, expuseram suas experiências pessoais e profissionais sobre o assunto, mediados pelo estudante da UFRPE, Émerson Santos.

Em pouco mais de duas horas de encontro, não deu pra abordar todo o leque de demandas específicas sobre a relação redes sociais/juventude, mas foi possível colocar em pauta o que parecem ser os desafios da produção e compartilhamento de conteúdo na web: democratizar o acesso e engajar as pessoas. Para Hélio Jr, que edita o Blog do Vanguarda, pensar o alcance das redes sociais passa por avaliar até onde se consegue democratizar o acesso a informações e como não extrapolar limites na produção de conteúdo. “As redes sociais representam ferramentas muito ágeis para disseminar informações e isso torna o próprio trabalho jornalístico mais delicado, pois somos cobrados com mais velocidade pelo que publicamos e, ainda, acabamos abrindo espaços para vários agentes políticos, enquanto as redes sociais e blogs contribuem para a própria criação de novos atores políticos. Isso é algo complexo, pois devemos analisar as consequências do que produzimos e compartilhamos na web”, defendeu o jornalista.

Já a secretária Louise Caroline acredita que é preciso pensar como utilizar as redes sociais para fomentar o engajamento social dos cidadãos. “Acredito nas redes sociais como ferramentas para fomentar as mobilizações fora da internet. A Primavera Árabe é um exemplo claro disso, pois só ganhou toda a relevância que teve porque ultrapassou o engajamento das redes sociais e alcançou as manifestações nas ruas. Precisamos compreender que as manifestações e diálogos na web são um ponto de partida para que não nos comportemos apenas como “sofativistas”, aqueles que apenas conseguem participar das discussões no conforto de suas casas, sem sair do sofá. A Participação Social em Caruaru ganha importância nesse sentido justamente porque pretendemos abrir um espaço de discussão virtual para que esses agentes que participam de mobilizações na web se sintam engajados para participar do diálogo com o poder público”, observou.

Apesar de não ter sido um evento de grande porte, a diretora de Juventude da prefeitura, Michelly Pereira, avaliou que a participação no evento foi satisfatória, já que ela considera ter reunido um público politizado para discutir o tema do debate. “Essa Roda foi a primeira de muitas, vamos convidar amigos para debater as várias temáticas que envolvem a juventude. E ontem foi bem assim, amigos debatendo Juventude, Blogs e Redes Sociais. já estamos na pensando na temática do próximo. Confesso que o público me surpreendeu pois fizemos a mobilização, apenas nos blogs e nas Redes Sociais e conseguimos mobilizar muita gente e, o que é melhor, um público politizado, então todas as falas foram de alto nível”, concluiu.

Essa politização, na opinião do universitário Marcelo Diniz, é o que se faz necessário para alcançar uma democratização do acesso à comunicação, respaldada na garantia de direitos no compartilhamento e produção de conteúdo na web. O comentário dele você acessa no vídeo abaixo.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro