14 de fevereiro de 2013 às 23h03min - Por Mário Flávio

Do site do PPS

Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira, o presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP), lamenta, em nome de todo o partido, a morte do político e ex-ministro da Justiça Fernando Lyra. Para a legenda, ele foi figura da maior importância na resistência democrática, sobretudo nas ações que culminaram com a reconquista das liberdades no país, em 1985. Confira abaixo a íntegra da nota.

Fernando Lyra: Uma enorme perda

O Brasil está de luto com a morte, neste dia, aos 75 anos, do político e ex-ministro da Justiça, o pernambucano Fernando Lyra, figura da maior importância na resistência democrática, sobretudo nas ações que culminaram com a reconquista das liberdades no país, em 1985. Enfrentando problemas cardíacos, nos últimos 15 anos, agravados com complicações no seu sistema urinário, ele esteve internado no Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, durante várias semanas, e não resistindo à grave situação a que chegara, veio a falecer.

Filho de uma família de políticos, formou-se em Direito pela faculdade de Caruaru (turma de 1964), indo exercer sua profissão no Recife, onde envolveu-se nos movimentos e ações contra a ditadura militar. Um dos fundadores do MDB em Pernambuco, entrou na vida pública para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, no pleito de 1966, elegendo-se deputado estadual. Graças à sua combatividade e coragem no enfrentamento do regime autoritário, fez agressiva campanha, no pleito de 1970, conquistando minha adesão e um enorme empenho meu para ajudá-lo a se tornar um dos nossos representantes na Câmara Federal.

Pessoa fraterna e sempre aberta ao diálogo e à negociação, Fernando Lyra tinha como outra de suas inigualáveis características manter uma postura sempre democrática ao tratar das questões mais delicadas e divergentes. Um dos criadores e líderes do Grupo Autêntico, do MDB, teve uma trajetória das mais ricas, exercendo vários mandatos de deputado federal e foi coordenador político na campanha de Tancredo Neves rumo ao Planalto em 1985. Atingiu seu apogeu ao ser nomeado ministro da Justiça, cargo no qual teve participação decisiva em eliminar os absurdos implantados pela ditadura militar-civil e se tornou um dos responsáveis diretos pela reconquista da legalidade do Partido Comunista Brasileiro. Nos seus mais de 40 anos na vida pública, exerceu seu último mandato parlamentar até 1998, quando não mais quis disputar eleição, acentuando que seu estilo de atuação não tinha mais espaço no Congresso. Desde 2003, passou a presidir a importante Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), órgão do Ministério da Educação.

Chocado com a notícia de seu desaparecimento, em meu nome pessoal, e do Diretório Nacional do PPS, transmito à viúva, filhos e netos, e aos seus irmãos e demais familiares, nossos mais fraternos pêsames e os melhores sentimentos de uma paz de espírito para que resistam à imensa perda de ente tão querido.

Brasília, 14 de fevereiro de 2013

Deputado federal Roberto Freire
Presidente nacional do PPS


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro