10 de agosto de 2012 às 12h07min - Por Mário Flávio

 

Jorge salientou que investimentos na Saúde colocam Caruaru em uma nova fase

Com conhecimento de causa na Saúde, o vice-prefeito de Caruaru Jorge Gomes (PSB), também médico, reforçou o discurso do prefeito Zé Queiroz, candidato à reeleição, de que Caruaru está passando por uma reconstrução da Saúde municipal. Segundo ele, os investimentos da atual gestão e a parceria com os governos estadual e federal está desenvolvendo uma nova rede pública de atendimento que terá grande impacto a longo prazo.

“Nossa gestão reformou PSFs, implantou uma UPA Municipal, e em parceria com o governo estadual, recebemos uma UPA Estadual. Além disso, aqui também será construído o Hospital Mestre Vitalino, que será um dos maiores do interior do Nordeste,vai ser dada a ordem de serviço da UPA Rendeiras e do Boa Vista I, vamos ter um Hospital da Mulher e começamos o governo do estado também deu início ao convênio para municipalizar o Hospital Jesus Nazareno. E além disso, teremos a implantação do curso de Medicina em Caruaru. Esses investimentos são bem planejados, a reconstrução da Saúde precisa de competência e não de blá-blá-blá, como temos visto no discurso da oposição”, ressaltou Jorge.

Jorge ainda criticou o discurso da candidata Miriam Lacerda, afirmando que não há fundamentação nas propostas do plano de governo do Democratas. “Eles dizem que querem melhorar a saúde, mas não dizem como, porque eles não tem propostas que se sustentam. Em vez de uma campanha propositiva eles ficam fotografando um buraco em uma rua ou uma cadeira quebrada em uma escola”, disparou. Além disso, o prefeito ainda expôs que na gestão anterior, o Hospital do Coração foi inaugurado sem condições estruturais adequadas. “Eles transformaram uma emergência clínica em Hospital do Coração na gestão passada e inauguraram, sem  planejamento, nem infraestrutura suficiente e agora, querem apontar falhas nos investimentos que realizamos na Saúde, enquanto a gente bota Caruaru pra cima, eles querem colocar a cidade pra baixo”, completou.

No entanto, indagado se ele usa o sistema municipal de Saúde, Jorge reconheceu que nem sempre o utiliza e que esse setor ainda passa por grandes dificuldades em níveis municipal, estadual e federal. “Eu não vou dizer que utilizo regularmente, eu procuro ir, tenho plano de saúde, mas até nas unidades de Recife, por exemplo, existem grandes dificuldades, relacionadas no entanto, à falta de médicos, algo pelo que passam também as unidades privadas. Não se pode analisar esse problema de forma isolada”, finalizou.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro