20 de fevereiro de 2013 às 18h25min - Por Mário Flávio

20130220-181228.jpg

Uma aprendiz incansável. Assim se definiu a deputada Raquel Lyra (PSB), em relação ao tio, o ex-ministro da Justiça, Fernando Lyra, que faleceu na última quinta (14), em consequência de uma cardiopatia. A parlamentar ocupou a tribuna da Assembleia, nesta quarta (20), para lembrar a trajetória do político.

Raquel destacou que o ex-deputado tinha personalidade forte e marcante, doou os melhores anos da vida à causa pública e deixou sua marca na história do Brasil. A deputada afirmou que o ex-ministro herdou do pai o gosto pela política e, nos discursos, sempre conseguia transmitir confiança. Durante o pronunciamento, Raquel leu trechos de artigos escritos após a morte de Fernando Lyra, como o do senador Cristovam Buarque e o da jornalista Eliane Cantanhede. A parlamentar informou que todos os textos salientavam o coração imenso e a generosidade do ex-ministro.

Alguns deputados fizeram aparte a Raquel Lyra. Terezinha Nunes, do PSDB, enfatizou que Fernando resgatou a democracia para a imprensa brasileira, pois na época em foi ministro acabou com a censura no País. Betinho Gomes do PSDB, afirmou que Lyra é referência para todos os políticos que o sucederam. André Campos, do PT, lembrou que o ex-ministro foi o maior orador de palanque que conheceu.

Waldemar Borges e Raimundo Pimentel, do PSB, ressaltaram que Fernando Lyra se dava bem com todos, independente do campo político. E Zé Maurício, do PP, registrou o grande espírito público do ex-ministro.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro