20 de agosto de 2013 às 12h25min - Por Mário Flávio

20130820-101920.jpg

Durante debate na Rádio JC/CBN, a deputada estadual Raquel Lyra (PSB) destacou os esforços do governo do Estado para amenizar o impacto da seca que atinge o Agreste de Pernambuco. Ela lembrou que, quando concluídas, as obras da transposição do Rio São Francisco vão beneficiar Caruaru e mais 68 municípios da área, que receberão água trazida pela Adutora do Agreste. “O Mapa da Água em Pernambuco mostra que a nossa região é a que mais sofre, porque percentualmente tem mais habitantes para menos água. Por isso mesmo, o governo tem entrado forte com medidas para amenizar essa situação. Em 2015, já teremos água jorrando da Adutora do Agreste”, afirmou.

No debate – que também contou com a participação do deputado Daniel Coelho – Raquel Lyra também analisou as notícias publicadas recentemente pelo Jornal do Commercio sobre os problemas administrativos identificados em Caruaru pela Controladoria Geral da União. Ela lembrou que o relatório foi concluído pelo órgão em 2011, mas ressaltou a importância de tornar públicas as investigações. “A imprensa também tem esse papel. E eu defendo qualquer investigação sobre o uso de verbas públicas. Mas não posso avaliar se houve má fé por parte de quem aplicou essas verbas”, disse.

Ao analisar a recente fuga de vários adolescentes de uma unidade da Funase no Recife, a deputada – que esteve por dois anos à frente da Secretaria da Infância e Juventude do Estado – afirmou que é preciso recursos para ampliar a rede de acolhimento aos jovens infratores. Mas também convocou a sociedade para se engajar nessa discussão. “Também precisa se tornar uma pauta federal. A União precisa colaborar com mais recursos”, observou.

Ao falar sobre política e as eleições de 2014, Raquel Lyra confirmou sua candidatura à reeleição para deputada estadual e, diante das pesquisas que indicam Eduardo Campos (PSB) como o governador mais bem avaliado do País, ela admitiu que considera o líder socialista um excelente nome para a disputa presidencial. Mas ressaltou que o momento atual é de atender às necessidades do Brasil. “Nos últimos anos, mais de 40 milhões de pessoas foram tiradas da situação de miséria, mas precisamos dar um passo adiante, inclusive oferecendo educação de qualidade”, concluiu.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro