14 de dezembro de 2013 às 17h21min - Por Mário Flávio

Do Estado de São Paulo

O presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), disse que o pedido de anulação do julgamento do Supremo Tribunal Federal não representa a posição oficial do partido. Escalado para coordenar a campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição, Falcão afirmou não considerar como presos políticos o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro Delúbio Soares.

O pedido de anulação do julgamento apareceu na quinta-feira à noite, durante a abertura do 5° Congresso do PT, quando Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram cobrados por militantes que chamavam Dirceu, Genoino e Delúbio de “guerreiros do povo brasileiro” e clamavam por solidariedade de outros petistas.

“São campanhas que se fazem, mas essa não é a posição do PT”, afirmou Falcão. Na quinta-feira, o presidente do PT foi o único a defender publicamente os condenados, ao dizer que nenhum deles comprou votos no Congresso nem usou dinheiro público ou enriqueceu. “Se eu não falasse, vocês iriam dizer que eu fugi do assunto. Mas eu falei com moderação”, afirmou o presidente do PT aos repórteres.

Suas declarações, contudo, não foram suficientes para desanimar ou conter os militantes, que continuaram ontem a defender um redirecionamento do partido a respeito do assunto. Ontem, eles ocuparam o auditório onde se realiza o congresso para fazer um ato em desagravo aos petistas presos.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro