21 de julho de 2012 às 11h57min - Por Mário Flávio

Fábio e Severino conversaram com João sobre melhorias para Caruaru

Os candidatos a prefeito e vice da Coligação Caruaru Pode Mais – Por Um Socialismo de Verdade, Fábio José e Severino Melo, respectivamente, enviaram carta aos vigilantes de Caruaru. No documento, compromissos são assumidos por ambos com a classe. Na quinta-feira, Fábio havia se encontrado com o presidente do Sindicato, João Rodrigues, para falar sobre as propostas de governo da coligação Caruaru Pode Mais.

CARTA ABERTA – À CLASSE DOS VIGILANTES EM CARUARU – Att. Do Sr. João Rodrigues (João do Sindicato) – MD. Presidente do SINDESV

1.Que nossas primeiras palavras aos Vigilantes da base de Caruaru e seus familiares, sejam de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, como, já há muito, preconizadas, desde os remotos tempos da Revolução Francesa.

2.Todavia, um certo ditoso poeta socialista brasileiro, desaparecido em 1987, chamado J. G. de Araújo Jorge, já escrevera: “Quando já não houver trabalhos dignos e indignos, porque todas as parcelas estarão na mesma soma e o sábio e o operário, o artista e o camponês, seguirem paralelamente os seus caminhos, sem nunca se encontrarem, mas sem humilhações. Quando as gramáticas e as raças não separarem os homens porque todos se entenderão sem raças e sem gramáticas e verão que muito mais além das cores e dos idiomas está o Homem e só por isso somos iguais e irmãos”… É assim que, sem maiores delongas, saudamos os profissionais da árdua missão da vigilância, em todos os seus níveis, em Caruaru.

3.Nós, subscritores da presente missiva, encabeçamos a chapa majoritária da Coligação Caruaru Pode Mais – Por Um Socialismo de Verdade, composta pelos partidos políticos: PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) e PPL (Partido Pátria Livre). Fábio José (32 anos, estudante de Direito, micro empresário, concorre ao cargo de Prefeito, através do numeral 50 e Severino Melo (53 anos, escritor, advogado, Agente Federal aposentado) ao cargo de Vice-Prefeito, ambos em chapa puro-sangue, representando o PSOL, com impossibilidade de desavença interna, eis que têm a mesma linguagem e princípios.

4.Nossa agremiação partidária é bem nova no cenário nacional, com fundação no ano de 2005 e em Caruaru nos estabelecemos, oficialmente, a partir de 2011. Ainda não fomos, e nem pretendemos ser, contaminados pela praga da corrupção que assola a vida político-partidária, mormente nos cargos eletivos, e já há muitas décadas, instalada nos quadrantes do Brasil. Uma das nossas metas é não decepcionar o sofrido povo brasileiro, pois enquanto proletários, dele somos egressos.

5.Só os ousados lutam e, por conseguinte, só os ousados vencem. Isto é válido, também, para os profissionais da vigilância, enquanto órgão classista. Não nos é dado o direito de esquecer que “a união faz a força”. E isto é válido para todos os setores da sociedade organizada e também para a entidade política que se preza e quer escrever com decência o seu nome na história.

6.Estamos plantando uma semente de fé e de esperança na comunidade caruaruense e os abnegados homens que cuidam do patrimônio alheio, com o risco da própria vida, não poderiam passar ao largo da nossa expectativa. Em largo espectro queremos o bem para todos, pois não governaremos apenas para os nossos eleitores, mas sim para todos os munícipes da Capital do Agreste, sejam eles da zona urbana ou da zona rural.

7.A priori tudo o que podemos prometer, se eleitos ou não, é o legal e o moral. Bem sabemos que os Vigilantes se regem pela sua legislação específica e que travam embates seriíssimos, mormente, com o forte poder econômico da classe patronal. Mas, a luta de classes, principalmente, no capitalismo selvagem, sempre foi objeto de minimização entre os extremos, por parte de todos nós que, consciente e voluntariamente, fazemos um socialismo de verdade.

8.Ninguém muda a máquina administrativa da noite para o dia. Mas, muita coisa, paulatinamente, poderá ser feita em prol dos mais desvalidos e com isso diminuir-se-á a gritante diferença entre aqueles que tudo tem, daqueles que nada tem. E é no município que residem os mais crassos problemas sociais e por incrível que pareça é nele também que está a força silenciosa do voto que poderá mudar a trajetória da cidade.

9.Um talo de coentro se parte com facilidade, mas um molho é bem mais difícil. Assim, com a paciência do garimpeiro, nós conclamamos os Vigilantes caruaruenses a analisarem o posicionamento do quadro dos aspirantes à chefia do Poder Executivo municipal.

10.Temos o continuísmo, para todos aqueles que estão satisfeitos com a situação que aí está e uma reeleição que mais parece ser uma “eternização” no poder, numa demonstração de “culto à personalidade”, parecendo que não haveria nenhum outro homem dentro do partido ou da coligação que pudesse fazer crescer o município. Eles dizem ter a força mas esquecem que o povo tem uma alavanca e um ponto de apoio, através do voto, que podem mudar a biografia da cidade. Uma boa opção para quem deseja que as coisas continuem como estão.

11.Está posta também uma propositura de volta ao passado. É como se quisessem que olhássemos pelo retrovisor. Caruaru já sofreu muito com o descaso de alguns aspirantes que foram eleitos pelo voto. A cidade ficou sem Vice-Prefeito de janeiro 2005 até primeiro de janeiro de 2009, tornando-se uma cidade anômala, tendo o Presidente da Câmara Municipal, como sendo o substituto imediato do Prefeito. O Prefeito, por sua vez, renunciou ao mandato, no início de 2008 e todos viram como ficou a cidade até primeiro de janeiro de 2009. Quem garante que não teremos novas renúncias? Os mandatários profissionais, enfim, visam mesmo é o seu bem-estar e acreditam que o povo sofra de amnésia.

12.Mas, em boa hora surgiu a nossa proposta de mudança verdadeira. “Aquele que se decide a parar e esperar que as coisas melhorem verificará mais tarde que aquele que não parou, que não deu tempo ao tempo está tão distante que jamais será alcançado”. Nos lançamos para acabar de uma vez por todas com a dicotomia em Caruaru. Oferecemos a terceira via, para receber o voto dos insatisfeitos, para minorar a quantidade dos votos brancos e nulos. Propugnamos pela atuação na saúde, na habitação, na educação, na capacitação e geração de empregos e no auxílio à segurança através de medidas preventivas de defesa social. À guisa de conclusão, pregamos o maior valor que ainda pode existir na política. A fidúcia, a confiança. A confiança do candidato em seu eleitor e do eleitor em seu candidato. Afinal de contas, “os maiores valores dessa vida, não se pode ver, nem tocar, eles devem ser sentidos com o coração”. Eis porquê, pedimos o voto de confiança para o 50 e também para todos os vereadores que iniciem pelo numeral 50 e também 54.

13.Nos colocamos à disposição da categoria para quaisquer outros esclarecimentos, através de nossos correios eletrônicos: fabiojose.psol.50.caruaru@hotmail.com e ou severinomelo.psol.50.caruaru@gmail.com

Atenciosa e respeitosamente,

Fábio José Silva – candidato a prefeito de Caruaru pelo Psol / 50, coligado com o PPL /54 – Caruaru Pode Mais – por um socialismo de verdade.

Severino do Ramo Fernandes de Melo – candidato a Vice-Prefeito / Psol 50 – coligação : Caruaru Pode Mais – por um socialismo de verdade.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro