26 de agosto de 2013 às 08h55min - Por Mário Flávio
Representantes do Sismuc e Atec rejeitam a emenda proposta pela Comissão de Leis

Representantes do Sismuc e Atec rejeitam a emenda proposta pela Comissão de Leis

Se a relação entre bancada governista e professores da rede municipal é complicada, deve piorar nos próximos dias. Representantes da ATEC e Sismuc não aceitam a emenda proposta pela Comissão de Leis da Câmara, que altera o Dia Municipal da Luta pela Educação de 31 de janeiro para o dia 16 de julho. De acordo com o presidente de ATEC, Fred Santiago, a medida mostra que falta diálogo entre a Casa e a categoria.

“O vereador Marcelo Gomes disse que a data escolhida pela Comissão faz referência a instalação do piso nacional, mas não concordamos com isso. O motivo é simples, a partir de primeiro de janeiro de 2014 o nosso salário vai ficar congelado, então a data baseada na Lei do Piso, não terá motivo algum para comemoração. O projeto de Lei do vereador Jajá atende a uma demanda especifica da categoria da rede municipal de ensino de Caruaru. A Câmara de Vereadores ê a Casa do Povo e o projeto que passar por lá, que vier de uma demanda da sociedade, deve ser respeitado. Não se pode uma Comissão de três vereadores pensar que pode passar por cima de uma categoria”, expôs.

Já o presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça, disparou que a Comissão de Leis passou por cima da autonomia do vereador Jajá. “Nunca vi uma manobra tão descarada e com falta de respeito se um vereador para o outro como essa, se colocando uma emenda sem o autor nem ser comunicado. Eles querem mudar a data para não lembrar o que fizeram com a categoria. O Sindicato conversou com o vereador Jajá e explicamos a ele que o dia 31 de janeiro é uma data municipal e não adianta querer inventar outra estratégia. A categoria não aceita a mudança”, disse Mendonça.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro