29 de janeiro de 2014 às 06h25min - Por Mário Flávio

Prestes a completar um ano da votação e aprovação do contestado PCC, os professores de Caruaru voltam a tecer críticas contra a prefeitura. Dessa vez os docentes afirmam que o reajuste anual promovido pelo piso nacional não vai ocorrer na cidade e afirmam que os salários ficarão congelados pelos próximos cinco anos. De acordo com o presidente do Atec, Fred Santhiago, com a incorporação da gratificação de regência os docentes recebem além do piso e por isso, existe o congelamento.

“Considerando o patamar de reajuste, cerca de 9%, nos próximos cinco anos continuaremos recebendo além do piso nacional, embora seja pouco a diferença. Portanto, o prefeito está desobrigado de pagar a atualização do piso. Desobrigado entre aspas, pois existe uma outra interpretação da Lei do piso que diz que não pode haver prejuízo financeiro, mesmo quando os professores recebem além do percentual estabelecido pelo MEC. Nada impede que o prefeito pague o nosso aumento”, disse.

A Atec ainda questionou a informação que a prefeitura paga um dos melhores salários do Brasil aos profissionais da educação. “A prefeitura nunca apresentou dados oficiais que comprovem que Caruaru paga um dos maiores salários do Brasil”, disse. Na próxima sexta-feira os docentes realizam a segunda marcha pela educação municipal e prometem fazer muito barulho para lembrar um ano da aprovação do PCC.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro