17 de abril de 2013 às 10h00min - Por Mário Flávio

20130417-095616.jpg

A Ideia de criar um Polo Gay no São João de Caruaru não é unanimidade entre os próprios representante dos gays da cidade. A presidenta do Grupo de Resistência Gay de Caruaru, Priscila Presley, soltou o verbo contra o requerimento que será apresentado por Jajá na próxima quinta-feira. Segundo Priscila, caso o prefeito Zé Queiroz atenda ao pedido de Jajá o preconceito vai aumentar ainda mais contra os homossexuais.

Segundo ela, a luta para a inclusão com esse espaço pode perder força. “O público no São João respeita a comunidade Gay, ficamos a vontade e pulamos e dançamos durante os 30 dias de festa. Se houver a separação vai ser mais motivo para chacota, para que as turmas de homofóbicos se juntem para agredir, se nos juntamos para debater ações para a segurança dos gays e elas não vem, imagine para as festas”, ironizou.

Presley disse ainda que o debate sobre a situação deve ser bem mais amplo. “Os grupos que existem devem se unir para que juntos possamos conseguir algo melhor para a classe, como ocorre com outras entidades que têm dias dedicados no São João. Do jeito que está hoje, com essa divisão, caso tenha o dia dedicado aos gays no São João, no dia vai um monte de malandro tirar onda com as bichas e o que vamos servir é de chacota. Vim aqui e represento também grupos de Recife que são contra isso, não fomos ouvidos e esperamos que a discussão seja ampliada, Jajá não pode ouvir um grupo apenas e apresentar uma proposta em nome da classe, ser Gay não é ser palhaço (sic)”, disse Presley.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro