4 de junho de 2012 às 21h50min - Por Mário Flávio

A falta de experiência e orientação, principalmente entre os jovens da situação deixaram a oposição a vontade na primeira reunião do Parlamento Jovem de Caruaru. Jovens confundiam os microfones de aparte com o do uso da Tribuna, não sabiam o que eram os primeiro e segundo expedientes, enfim, faltou orientação da Comissão de Juventude da Câmara aos novos vereadores.

O que chamou atenção foi a questão do tempo, já que nenhum vereador jovem usou os 10 minutos que cada um tem direito. Os vereadores Jovens Edweiis Arnaldo e o presidente Paulo Tôrres são os únicos da situação que conhecem, de fato, como funciona uma sessão ordinária. Paulo Tôrres usou a Tribuna e disse que apresentou duas indicações ao governo de Pernambuco. Ele ainda citou as conquistas do governo Zé Queiroz (PDT) e citou o alinhamento das gestões para que a cidade avance.

As velhas práticas de votos de aplausos estiveram presentes na reunião. Os jovens da oposição, que sempre frequentam as reuniões ordinárias ficaram mais a vontade e sempre que usaram a Tribuna provocaram a situação.

O destaque da reunião foi o vereador jovem Clayton, que apresentou um documento para que seja criado em Caruaru um Plano Municipal de Políticas Públicas para o LGBT. “A nossa Consituição permite os direitos iguais, mas nessa sociedade machista, precisamos pensar nas pessoas e vou aproveitar esse espaço para lutar para a efetivação desse plano”, disse.

Apesar de objetivos, jovens vereadores ainda estão se acostumando às novas responsabilidades


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro