22 de março de 2013 às 18h55min - Por Mário Flávio

Foto (6)

Em paralelo aos recentes protestos de moradores de Panelas, a Compesa informou que finalizando a contratação da empresa que construirá de forma emergencial uma adutora de 5 km para atendimento à população do município de Panelas, no Agreste pernambucano, que entrou em colapso em função da falta de chuvas na região, o que não permitiu a recuperação da barragem. A última pendência era a autorização do proprietário da Fazenda Patameira, de onde a companhia irá retirar água para complementar o abastecimento da cidade, que hoje está sendo atendida por carros-pipa e por chafarizes instalados em pontos estratégicos do município.

No contexto

Após confusão em Panelas, Compesa apresenta projeto de construção de barragem

Em reunião realizada nessa quinta (21) em Brasília, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, conseguiu a autorização do senador por Alagoas, Benedito de Lira, proprietário da Fazenda Patameira, para dar início às obras da adutora. O primeiro carregamento de tubos já está na cidade e a expectativa da Compesa é iniciar a obra logo após a assinatura do contrato.

Segundo Tavares, o senador foi sensível ao drama da falta de água enfrentado pela população de Panelas, que está sob estado de emergência em virtude da falta de chuvas na região, caracterizada como a pior estiagem dos últimos 50 anos. “O senador se colocou à disposição da Compesa para interligar as águas da barragem de Patameira com a barragem São Sebastião”, explicou Roberto Tavares.

Como é uma obra emergencial, a adutora será construída em até 90 dias a um custo estimado de R$ 800 mil. A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) vai instalar equipamentos que permitam medir e acompanhar o nível da Barragem de Patameira.


Comentários


Qual o nome que você quer para a nova Rádio de Caruaru?

...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro